Mamografia

A mamografia é um exame de diagnóstico por imagem do tecido mamário.

Este é um exame útil na detecção de neoplasias mamárias em fase inicial, sendo capaz de evidenciar alguns tipos de tumores antes do próprio paciente ou do seu médico detectar o nódulo. Serve também para verificar um nódulo observado por meio do exame físico ou auto-exame, podendo auxiliar na distinção entre nódulo maligno e benigno. Contudo, todo nódulo suspeito deve ser submetido a uma biópsia ou ressecção cirúrgica, até nos casos do nódulo aparentar ser benigno na mamografia.

De acordo com a literatura, este exame apresenta sensibilidade entre 88% a 93,1% e especificidade entre 85% a 94,2%, sendo que o uso desta técnica como método de rastreamento (ou de rotina nas mulheres assintomáticas) diminui a mortalidade em até 25%.

É importante certificar-se de que as axilas e tórax estejam limpos durante a realização do exame, não devendo fazer o uso de desodorantes, perfumes ou talco no dia do exame, pois estes podem dificultar a interpretação do exame.

Este exame é feito num ambiente médico apropriado, que contenha a estrutura necessária para sua realização, como consultórios médicos ou uma clínica radiográfica. Deve-se recomendar a retirada de qualquer vestimenta que encubra os seios. O técnico irá utilizar uma máquina para realizar as radiografias de cada mama. Habitualmente o procedimento leva alguns minutos e não é doloroso; todavia, a paciente sentirá uma pequena pressão quando as mamas forem apertadas entre os dois pratos, podendo levar a um ligeiro desconforto pó algum tempo.

No ano de 2004, o Ministério da Saúde publicou “O Controle do Câncer de Mama: Documento de Consenso”, que recomenda seguir as seguintes recomendações para rastreamento em mulheres assintomáticas:

  • Exame clínico das mamas a partir dos 40 anos de idade;
  • Mamografias para mulheres entre 50 a 69 anos, com intervalo máxima de 2 anos entre os exames;
  • Exame clínico das mamas e mamografia anual, a partir dos 35 anos para mulheres do grupo de risco.

Há outras situações na qual recomenda-se a mamografia de rotina, como:

  • Antes do início de terapia de reposição hormonal;
  • No pré-operatório de cirurgia plástica, para detectar qualquer alteração das mamas, especialmente em pacientes que se encontram acima da 5° década de vida;
  • No segmento pós-mastectomia, para estudo da mama contra-lateral e após cirurgia conservadora.

Fontes:
http://www.cancerdemama.com.br/mulher/mamo/mamo.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Mamografia
http://boasaude.uol.com.br/lib/ShowDoc.cfm?LibDocID=3382&ReturnCatID=1806
http://www.inca.gov.br/conteudo_view.asp?ID=336
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/qualidade_mamografia.pdf

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Exames Médicos