Questões da prova UFSC 2014

Selecionamos as questões mais relevantes da prova de vestibular UFSC 2014. Confira!
* Obs.: a ordem e número das questões aqui não são iguais às da prova original.

Questão 11:

Uma mulher que administra bem sua casa é uma riqueza inestimável.

Não exerças controle sobre tua mulher dentro de casa, se já bem conheces sua excelente eficácia.
Não lhe digas: “Onde está isso? Traga-o aqui!”
Se ela colocou este objeto em seu devido lugar.
Observa-a com admiração, permanecendo silencioso,
A fim de que possas constatar sua força.
É uma alegria, quando tua mão se junta com a dela.

JACQ, Christian. A sabedoria viva do antigo Egito. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999. p. 106.

Sobre o universo feminino nas sociedades antigas, é CORRETO afirmar que:


Questão 12:

Para Edward Said (1935-2003) – intelectual, crítico literário e ativista político –, as regiões do mundo que chamamos de Ocidente e Oriente não são lugares “naturais”, mas invenções humanas. [...] Segundo Said, desde a Antiguidade o pensamento ocidental construiu a imagem negativa das sociedades que viviam fora da Europa. Mas foi principalmente com a expansão colonialista no século XIX que surgiram intelectuais, cientistas e artistas europeus interessados em estudar os povos do Oriente.

VAINFAS, Ronaldo et alii. História. São Paulo: Saraiva, 2010. p. 456. v. 3.

Sobre as relações da Europa com o Oriente, é CORRETO afirmar que:


Questão 13:

A cidade contemporânea, apesar de grandes transformações, está mais próxima da cidade medieval do que esta última da cidade antiga. A cidade da Idade Média é uma sociedade abundante, concentrada em um pequeno espaço, um lugar de produção e de trocas em que se mesclam o artesanato e o comércio alimentados por uma economia monetária. É também o cadinho de um novo sistema de valores nascido na prática laboriosa e criadora do trabalho, do gosto pelo negócio e pelo dinheiro. É assim que se delineiam, ao mesmo tempo, um ideal de igualdade e uma divisão social da cidade, na qual os judeus são as primeiras vítimas. Mas a cidade concentra também os prazeres, os da festa, os dos diálogos na rua, nas tabernas, nas escolas, nas igrejas e mesmo nos cemitérios. Uma concentração de criatividade de que é testemunha a jovem universidade que adquire rapidamente poder e prestígio, na falta de uma plena autonomia.

LE GOFF, Jacques. Por amor às cidades: conversações com Jean Lebrun. São Paulo: UNESP, 1998. p. 25. Apud: VICENTINO, Cláudio; DORIGO, Gianpaolo. História Geral e do Brasil. São Paulo: Scipione, 2011. p. 187.2. v. 1.

Sobre o período medieval, é CORRETO afirmar que:


Questão 14:

A revolução da imprensa

No final do século XV, a reprodução de materiais escritos começou a transferir-se da escrivaninha do copista para a oficina do impressor. Essa mudança, que revolucionou todas as formas de aprendizado, foi particularmente importante para o estudo da história. Desde então, os historiadores passaram a dever muito à invenção de Gutenberg: a imprensa intervém no seu trabalho desde o início até o fim, desde a consulta aos fichários até a revisão do texto final.

EISENSTEEIN, Elisabeth L. A revolução da cultura impressa. Os primórdios da Europa Moderna. São Paulo: Ática, 1998. p. 17.

Sobre a revolução da imprensa e seus impactos, é CORRETO afirmar que:


Questão 15:

O açúcar nosso de cada dia

Há quem diga que o sexo e a comida são os dois maiores prazeres da vida. No caso brasileiro, o açúcar vem cumprindo um papel histórico de dar liga aos dois, combinando a natureza violenta e dominadora a uma cultura adocicada, marcada pela negociação dos conflitos.
A sensibilidade despertada pelo sabor açucarado e os lucros advindos desse comércio motivaram a construção de uma sociedade em que o mais português dos preconceitos não resistiu às tentações do suor escravo, conforme demonstrou Gilberto Freyre. Para mucamas, quituteiras, concubinas ou cozinheiras, a satisfação da gula tinha valor de liberdade. No cerco dos engenhos, o açúcar era o resultado de um complexo sistema produtivo, mas foi se tornando também a autonomia da colônia, a sobrevivência do escravo, o segredo da sedução feminina, a moeda dos mascates, o pecado, a autoridade e a violência do senhor.

CIVILIZAÇÃO DO AÇÚCAR: DA COLÔNIA AO ETANOL. Revista de História da Biblioteca Nacional, ano 8, n. 94, p. 17, jul. 2013.

Sobre a produção de cana-de-açúcar, é CORRETO afirmar que:


Questão 16:

Os fascismos

É a terceira linha de força do período compreendido entre as duas guerras, com a crise da democracia clássica e a irradiação da experiência soviética.
O termo que designa essas diversas forças tem origem na experiência política italiana: tomaram o nome de fascio associações compostas essencialmente de antigos combatentes, formadas logo depois da guerra e que senhorearam o poder em 1922.
[...] A palavra fascio, portanto, tem um destino comparável ao da palavra soviete: na origem designa um agrupamento e acaba designando um regime e sua ideologia. Passa-se da estrutura à política.
O uso do termo estende-se, a seguir, a outras experiências feitas em outros países, e qualifica todos os regimes, todos os movimentos e todas as organizações que apresentam algum parentesco com o regime de Mussolini.

RÉMOND, René. O século XX: de 1914 aos dias atuais. São Paulo: Cultrix, 1976. p. 91.

Sobre os fascismos e o contexto do período entre as duas grandes guerras mundiais, é CORRETO afirmar que:


Questão 17:

Sobre a criação da Petrobras, seu contexto histórico e a produção de combustíveis no Brasil, é CORRETO afirmar que:


Questão 18:

Sobre meios de comunicação na história, é CORRETO afirmar que:


Questão 19:

Sobre manifestações e movimentos populares na história, é CORRETO afirmar que:


Questão 20:

Manifestações 2013

A partir do início de junho de 2013, testemunhamos no Brasil intensas manifestações nas principais capitais e regiões metropolitanas do país para protestar contra o aumento das passagens de ônibus, trem e metrô e reclamar contra o aumento dos alimentos, dos aluguéis, e contra o empobrecimento da qualidade dos serviços públicos no Brasil (saúde, educação, moradia e respeito aos direitos civis).
Sem lideranças unânimes, sem predomínio de grandes partidos políticos, as manifestações surgiram como uma forte onda social nas principais praças e ruas, reunindo milhares de pessoas que compartilhavam a pergunta já presente no consciente coletivo há tempo:
“Como um país que financia 20 bilhões de reais para construção de estádios para a Copa 2014 não pode financiar e investir a nossa verba para construção de escolas de alto nível, hospitais de excelência e segurança pública?”.
Fernando Rebouças

Disponível em: <https://www.infoescola.com/atualidades/ensaio-sobre-as-manifestacoes-no-brasil-em-2013/> [Adaptado]
Acesso em: 16 out. 2013.

Sobre as manifestações populares ao longo da história do Brasil e suas consequências, é CORRETO afirmar que:


Páginas: 1 [2] 3 4 5