Lenda da vitória-régia

A Lenda da vitória-régia é de origem brasileira e surgiu do povo indígena tupi-guarani. A história é baseada na explicação da existência da planta vitória-régia.

Vitória régia. Foto: Grigory Kubatyan / Shutterstock.com

De acordo com o mito, numa tribo indígena do norte do país, acreditava-se que a lua (conhecida como jaci pelos índios) era uma deusa que beijava e enchia de luz os rostos das virgens índias mais belas, e ao desaparecer atrás das montanhas, levava consigo as jovens de sua preferência e as transformava em estrelas.

Uma bela índia chamada Naiá sonhava com esse encontro, e tudo o que ela mais desejava na vida era ser levada por jaci. Outras pessoas avisavam a moça que se isso acontecesse, antes de tornar estrela, ela perderia todo seu sangue e sua carne, além de nunca mais ver sua família. Mesmo sendo alertada, Naiá não desistia de sua vontade.

A jovem passou a caminhar todas as noites pela floresta pedindo que a lua viesse ao seu encontro. Ela ficou tão obcecada que já não conseguia mais comer nem beber. Numa noite, de tanto andar, parou à beira de um lago para descansar e viu em sua superfície a imagem da lua refletida. No estado de sonolência em que estava, acabou se lançando no fundo do lago e se afogou. A lua, compadecida de seu sacrifício, resolveu transformar Naiá em algo diferente de todas aquelas estrelas que brilhavam no céu. Então a deusa a transformou em uma “estrela das águas”, a vitória-régia, única e perfeita.

A vitória-régia: é uma planta aquática e flutuante da família das Nymphaeaceae, típica da Amazônia. A afloração ocorre entre o período de março e julho, e ela só abre à noite. As cores são variadas, podendo ser branca, rosa, roxa, lilás e amarela. Exalam forte perfume adocicado e é considerada a maior da América, podendo atingir 30 cm.

Os índios utilizam o suco da raiz para aplicar nos cabelos como tintura negra. A flor possui uma folha redonda que pode chegar até 2,5 m e suportar 40 kg. Atualmente, por meio de novas tecnologias, é possível controlar o crescimento da folhagem para que seja utilizada em paisagismo urbano ou em outros locais.

Arquivado em: Folclore