Modo subjuntivo

Quando se utiliza o modo subjuntivo, interpreta-se, aprecia-se a realidade. É então o modo da subjetividade. O locutor deixa aos outros a possibilidade de pensar ou de não pensar como ele. É por isso que o subjuntivo, modo da subjetividade, não precisa de todos os tempos verbais encontrados no modo indicativo. Ele mostra uma ação que está acabando ou acabada e é o contexto que dá seu valor temporal.

* Valores e empregos:

O subjuntivo é utilizado essencialmente na proposição subordinada. Ele também é encontrado, mas muito raramente, em proposições independentes, frequentemente em frases exclamativas que exprimem um desejo, uma ordem, um desejo.

Em proposições subordinadas, ele é encontrado:

> na proposição subordinada completiva:

- depois dos verbos pessoais ou impessoais que insistem sobre a idéia da dúvida, ou seja, depois de todos os verbos de opinião, de crença, de declaração que, utilizados na forma negativa ou interrogativa, introduzem a idéia de uma dúvida.

- depois dos verbos pessoais ou impessoais que exprimem a vontade, o desejo, a ordem ou o sentimento.

> na proposição subordinada relativa:

- quando o antecedente é indeterminado ou precedido de um indefinido;

- quando a proposição principal está na forma negativa, interrogativa ou hipotética;

- quando a proposição principal introduz a idéia de uma restrição com expressões como: “le seul, l’unique, le premier, le dernier” (o único, o único, o primeiro, o último) etc. ou superlativos relativos.

> nas proposições subordinadas circunstanciais:

- de tempo: depois das conjunções que mostram que a ação se situa em um futuro indeterminado e então que há, talvez, uma dúvida sobre a realização dessa ação;

- de causa: depois de conjunções que mostram que a causa é negada, rejeitada ou que a causa é suposta, então incerta;

- de objetivo: depois de conjunções que mostram o objetivo a atingir (mas será atingido?), ou depois de conjunções que mostram o objetivo a evitar (mas será evitado?);

- de oposição, de concessão: depois de conjunções que mostram que um fato causa uma conseqüência inesperada, ou depois das conjunções que mostram que uma ação é considerada na sua possibilidade indefinida;

- de condição, de hipótese: depois de conjunções que mostram que a realização de um fato depende da realização de um outro, ou depois de conjunções que mostram que um fato é visto como imaginário, como hipotético, então que ele é eventual e não real.

Arquivado em: Francês