Metrópoles brasileiras

Especialista em Geografia do Brasil (Faculdades Integradas de Jacarepaguá, RJ)
Mestre em Educação (Estácio de Sá, 2016)
Graduado em Geografia (Simonsen, 2010)

A palavra metrópole possui diversos significados, entre eles o uso corrente na geografia se expressa na definição do dicionário Priberam: “Cidade de grande importância ou que ocupa uma grande área1. Sendo, portanto, uma grande cidade e que consequentemente possui uma grande influência sobre outras cidades. Podendo essa influência pode se dar a nível local, regional, estadual, nacional ou mesmo global.

A influência das metrópoles se dá em nível econômico, político e cultural, especialmente nas suas áreas conurbadas, conhecidas como regiões metropolitanas. As regiões metropolitanas englobam uma cidade principal (Metrópole) e as cidades com ela conurbadas, que funcionam como extensões daquela cidade principal, servindo por exemplo de cidades-dormitórios (cidades nas quais as pessoas apenas residem, porém trabalham/estudam ou realizam demais atividades em uma outra cidade).

Ao crescerem horizontalmente, as cidades esbarram nas fronteiras das cidades vizinhas e, apesar de não terem como alterar essas fronteiras administrativas, aquelas cidades vão gradualmente funcionando na prática como se fossem uma só com administrações diferentes.

A conurbação entre duas metrópoles é conhecida como megalópole, o que ainda não existe no Brasil, apesar de ser possível vislumbrar uma futura megalópole abrangendo as regiões metropolitanas do Grande Rio de Janeiro e Grande São Paulo.

Apesar de geralmente as Metrópoles serem as capitais estaduais, quem define a criação de regiões metropolitanas são os Estados e, portanto, alguns Estados possuem várias regiões metropolitanas e várias metrópoles.

O Brasil possui 69 Regiões Metropolitanas e regiões integradas de desenvolvimento (regiões metropolitanas que atravessam as fronteiras estaduais) e aglomerações urbanas que funcionam como Regiões Metropolitanas menores (conforme os dados divulgados pelo IBGE em 2017). A Região Integrada de Desenvolvimento mais conhecida e mais importante no cenário nacional é a Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno 2 que funciona como se fosse a região metropolitana de Brasília e chegando a incluir algumas cidades de Goiás, sendo esta última a única que é definida por legislação federal.

Entre as principais metrópoles brasileiras se destacam Rio de Janeiro e São Paulo, sendo as duas únicas metrópoles mundiais do Brasil. Sendo cidades tão influentes a nível global que muitas vezes o horário de Brasília é chamado de horário de São Paulo ou de horário do Rio de Janeiro (antiga capital e cidade largamente conhecida em sua influência cultural e atraindo fortemente turistas de todo o mundo).

Metrópole de São Paulo. Foto: Filipe Frazao / Shutterstock.com

A Região Metropolitana de São Paulo (também conhecida como Grande São Paulo) é disparada a região metropolitana mais populosa do Brasil, bem como São Paulo é a Metrópole mais populosa do Brasil. Entretanto, O Grande Rio (Região Metropolitana do Rio de Janeiro) continua sendo a mais influente culturalmente, exportando o seu “jeito-de-ser” e até o sotaque do Rio de Janeiro através da mídia.

Referências:

[1] https://www.priberam.pt/dlpo/metr%C3%B3pole

[2] https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/9868-brasil-tem-tres-novas-regioes-metropolitanas.html

[3] http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/07/1650027-campinas-entra-em-2-e-maceio-em-ultimo-no-idh-das-metropoles.shtml

[4] Atlas Geográfico Escolar do IBGE (4ª edição)

[5] José William Vesentini - Sociedade e Espaço: Geografia Geral e do Brasil (1998, editora Ática)

Arquivado em: Geografia