População economicamente ativa

Graduado em Geografia (Centro Universitário Fundação Santo André, 2014)

A População Economicamente Ativa (PEA) é formada pela população trabalhadora com idade entre 10 e 65 anos (no Brasil) que recebem remuneração salarial pela venda de sua força de trabalho, incluindo também as pessoas que estejam temporariamente desempregadas. Há países com maior desenvolvimento econômico que consideram integrantes da PEA as pessoas entre 15 e 60 anos. Também é contabilizada a População Economicamente Inativa (PEI) que se encontram as crianças com menos de 10 anos, aposentados, idosos e pessoas desempregadas que não estão em busca de emprego.

Sendo assim há duas classificações feitas pelo IBGE que determinam as pessoas integrantes da PEA como População Ocupada e População Desocupada. A População Ocupada se refere as pessoas que trabalham, sendo divididas entre:

  • Empregados: pessoas que trabalham para alguém, com jornada de trabalho em troca de remuneração econômica, podendo ser em dinheiro, moradia, alimentação, etc. Nessa categoria também estão os militares e cargos relacionados à igreja;
  • Empregadores: pessoas que exploram atividade econômica de outra, ou exercem algum oficio que necessitem de auxílio de um empregado;
  • Conta Própria: pessoas que exercem alguma profissão sem auxílio de empregados;
  • Não Remunerados: pessoas que trabalham menos de 15h por semana e que não recebem salário de fato pelo oficio, sendo considerados estagiários e aprendizes.

A população Desocupada se refere as pessoas que se encontram temporariamente desempregadas, mas que estejam em busca de algum ofício.

A PEA está distribuída entre os três setores da economia:

  • Setor Primário: aquele em que se encontram as atividades ligadas diretamente à matéria prima, como a agricultura, pecuária e extração mineral e vegetal;
  • Setor Secundário: aquele em que se modifica a matéria prima, como as indústrias e a construção civil;
  • Setor Terciário: aquele em que há relação interpessoal, como as prestações de serviço (médicos, advogados, professores, etc) e o comércio.

A quantidade de população economicamente ativa em cada setor é o que determina as características econômicas do país, ou seja, se a maior parte da população estiver trabalhando em atividades ligadas ao setor primário, aquele país é considerado rural.

Essas diferenças entre a distribuição da população economicamente ativa pelos setores da economia está presente na categorização dos países mais desenvolvidos e os menos. Nos países com a economia mais avançada, os mais desenvolvidos, há uma concentração da PEA no setor terciário da economia, devido à alta mecanização dos campos e da indústria, com base nos avanços tecnológicos disponíveis no país. Essa transição entre os setores da economia é a forma mais expressante para indicar a classificação de desenvolvimento econômico. Os países com menor desenvolvimento apresentam uma maior parcela da PEA concentrada nos setores primário e secundário, e no caso do setor terciário há uma grande quantidade de trabalhadores entre o mercado informal, caracterizando os chamados subempregos, como camelôs, ambulantes, etc. Os que apresentam maior parcela no setor primário são os países com baixa industrialização, sendo os com os mais baixos níveis de economia.

Tanto os países mais desenvolvidos como os menos sofrem atualmente com o desemprego, característico da automação em massa dos três setores da economia, mobilizando novas formas de trabalho para suprir o mercado de trabalho e a colocação da PEA.

Bibliografia:

http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/trabalhoerendimento/pme/pmemet2.shtm acessado em 14/11/2016.

ALMEIDA, Lucia Marina Alves de – Geografia: geografia geral e do Brasil, volume único – São Paulo: Ática, 2005.

Arquivado em: Demografia