Batalha de Aljubarrota

D. Fernando, nono rei de Portugal, morreu em 1383. D. Beatriz, sua filha única, iria sucedê-lo no trono. Porém, ela era esposa de D. João I, que era o rei de Castela. Desta forma, o rei português seria um castelhano. Um grande problema neste processo era que naquele período Portugal buscava tornar-se independente da Espanha, impossibilitando a ascensão de um rei castelhano no país lusitano.

Mesmo com essa contradição, D. Beatriz tornou-se rainha e o povo de Portugal ficou dividido, um grupo a apoiava e o outro achava ilegítima a sua posição. Um dos opositores de D. Beatriz era D. João Mestre de Avis, que era meio-irmão do finado D. Fernando. Com o objetivo de tornar mais fraca a posição da rainha, D. João Mestre de Avis assassinou o Conde Andeiro, um conselheiro de D. Leonor, viúva do rei D. Fernando que supostamente era a regente (quem reina em vez da rainha). Na verdade, Andeiro era quem regia o trono através de Leonor.

Após matar Andeiro, D. João Mestre de Avis foi apoiado pela população e por alguns nobres e burgueses que eram contra a rainha Beatriz. Receosa com esta situação, D. Leonor recorreu a D. João I, que era o rei de Castela e seu genro, para que agisse de forma a manter a posição de D. Beatriz. Desta forma, D. João I percebeu que sua figura também estava sendo contestada em Portugal e enviou seus homens para cercar Lisboa, local onde vivia D. João Mestre de Avis.

O processo realizado pelos homens de Castela para cercar Portugal foi um dos mais demorados da história, sendo que a peste negra que assolava a Europa e o desentendimentos entre os soldados castelhanos deram chance para que os portugueses não se rendessem. Com essa resistência, o Mestre de Avis ganhou força em Portugal. Assim, a população o nomeou com o título de Regedor e Defensor do Reino. Mas Castela continuava firme em sua posição de ataque e uma nova tentativa de invasão do território português foi feita. Esse processo desencadeou diversos embates entre as forças militares de Portugal e Castela, mas a mais conhecida foi a Batalha de Aljubarrota, ocorrida em agosto de 1385.

Um dos nomes mais importantes da Batalha de Aljubarrota foi D. João Mestre de Avis, que planejou uma ação militar contra os homens de Castela, encontrando-os no meio do caminho a Leiria. D. Nuno Pereira Álvares, guerreiro e nobre de Portugal, arquitetou ações de um contingente de soldados que lutou contra os castelhanos. Na batalha, foram utilizados arqueiros e besteiros que se organizavam em fileiras para derrotar os inimigos.

 

De acordo com alguns historiadores, até mesmo cavaleiros da Inglaterra auxiliaram os portugueses contra o exército de Castela. Aproveitando-se do terreno acidentado em que o embate ocorria, os homens de Portugal cavaram fossos e os disfarçaram encobrindo com folhagem. Assim, os castelhanos caíam nestas armadilhas conhecidas como "covas de lobo".

Após esta batalha, as forças de Portugal foram divididas em três grupos. A maior postava-se na retaguarda e tinha o comando de D. João Mestre de Avis. Na linha de frente era colocada uma parcela menor de soldados que, sob comando de D. Nuno Álvares Pereira (Condestável), causavam uma falsa impressão de vantagem aos homens de Castela.

À direta formava-se a "ala dos namorados", uma das mais bravas do contingente. Já à direta ficava a "ala de madressilva", que dava cobertura à ala da esquerda atirando flechas sobre o exército de Castela. Assim que os soldados de Portugal avançaram sobre os castelhanos, estes recolheram suas lanças, pois pensavam ser fácil derrotar os portugueses.

Porém, foram surpreendidos por uma manobra envolvendo todas as alas dos portugueses, que os rodearam e começaram a atacar com uma estratégia conhecida com o nome de "tática do quadrado". Assim, os homens de Portugal terminaram o conflito em vantagem numérica. Portugal saiu vitorioso, com mais homens e mais armas, evitando que o país continuasse dependente de Castela.

Fontes:
http://www.slideshare.net/lurdesmartins1/batalha-de-aljubarrota
http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=30&did=110531
http://pt.wikipedia.org/wiki/Nuno_Álvares_Pereira
http://www.junior.te.pt/servlets/Rua?P=Portugal&ID=1335