Invasão da Tchecoslováquia

Episódio histórico conhecido como Operação Danúbio e protagonizado pelas forças aliadas, a invasão da Tchecoslováquia foi uma conquista militar de exércitos de cinco nações socialistas do Pacto de Varsóvia comandadas pela URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas). Ocorrido entre os dias 20 e 21 de agosto do ano de 1968, o conflito se deu quando os países do Pacto de Varsóvia organizaram uma invasão à República Socialista da Tchecoslováquia com o objetivo de deter a Primavera de Praga, que era a liberalização política no país, liderada por Alexander Dubček.

Durante o confronto, um número que varia de 175 mil a 500 mil combatentes deram início ao ataque à Checoslováquia, sendo que 108 checoslovacos morreram no conflito e mais de 500 ficaram feridos. Fortalecendo o mandato do Partido Comunista da Checoslováquia, esta manobra militar findou com grande êxito as reformas de cunho liberal que estavam sendo iniciadas na região. A operação foi parte de uma política da URSS naquela época, chamada de Doutrina Brejnev. As únicas nações que faziam parte do Pacto de Varsóvia e não tiveram participação no confronto foram Romênia e Albânia.

De acordo com o historiador Volodymyr Viatrovych, “na operação Danúbio participaram cerca de meio milhão de militares soviéticos, mas também da Polônia, RDA (República Democrática Alemã), Hungria e Bulgária”. Segundo ele, “os checoslovacos não ofereceram a resistência armada massificada como em Budapeste em 1956. Os dados históricos apontam a morte em confrontos esporádicos de cerca de 100 cidadãos da Checoslováquia e 12 militares soviéticos”.

O confronto acabou gerando a ocupação de grande parte das cidades pertencentes à Checoslováquia, que ocorreu pouco antes de tanques e aviões soviéticos com grande aparato militar chegarem ao país invadido. Apesar disso, a população local resistiu fortemente nas primeiras semanas da ocupação militar. Entretanto, não foram suficientes para conseguirem reverter a situação. Os integrantes da Operação Danúbio interromperam as transmissões de televisão e rádio. Após a invasão da URSS, dirigentes da Checoslováquia foram internados. Isso ocorreu, pois eles tentavam iniciar uma reforma socialista na nação, que ficou conhecida pelo nome de Primavera de Praga. O exército da URSS ficou na região desde o período inicial da invasão até o ano de 1991.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Invas%C3%A3o_da_Tchecoslov%C3%A1quia
http://darussia.blogspot.com.br/2012/08/operacao-danubio-visao-do-ocupante.html
http://www.eurogendfor.org/portugu-s/organizac-o/comandante
COTRIM, Gilberto. História Global: Brasil e geral. São Paulo: Editora Saraiva, 2005.

Arquivado em: Idade Contemporânea