Movimento Nacionalista Revolucionário

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

Movimento Nacionalista Revolucionário foi uma organização brasileira de esquerda com objetivos de introduzir o socialismo no Brasil.

O Movimento Nacionalista Revolucionário foi criado no início da década de 1960 para ser uma organização armada e ilegal com a intenção de fazer do Brasil um membro do então existente Bloco Comunista. Ou seja, com o advento da Guerra Fria que polarizou o mundo entre capitalismo e comunismo, os revoltosos desse grupo se espelhavam no exemplo de Cuba, que foi o primeiro país do continente americano a assumir o sistema socialista, para tentar alterar a orientação ideológica vigente no Brasil. O grupo de revolucionários era liderado por Jefferson Cardim de Alencar Osório e recebia o apoio financeiro de Cuba, representante direto da União Soviética nas Américas. A relação entre o grupo revolucionário brasileiro e o governo cubano começou em território uruguaio, em Montevidéu, onde os brasileiros eram treinados e instruídos com táticas de guerrilha para lutar pela revolução.

O Movimento Nacionalista Revolucionário (MNR) seria o pioneiro na luta armada no Brasil com o início de suas atividades datando de janeiro de 1965. A primeira ação desse grupo revolucionário ocorreu na serra gaúcha e os envolvidos conseguiram dominar cinco cidades que eram mantidas pelas forças de repressão do nascente regime militar que se instalara no Brasil no ano anterior. Outras investidas vieram que nem foram consideradas como subversivas, mas que pretendiam dominar localidades estratégicas para o objetivo socialista. Sem dúvida, a movimentação mais famosa desse grupo revolucionário e que realmente chamou a atenção do governo brasileiro para agir em repressão ocorreu na Serra do Caparaó. No ano de 1967, os guerrilheiros se reuniram em tal localidade, que se encontra na divisa dos estados de Minas Gerais com Espírito Santo, para treinamento amparado e financiado por Cuba. De lá pretendiam expandir a revolução pelo sudeste, mas os cubanos suspenderam o patrocínio, o que deixou os integrantes do movimento em situações precárias. Foi preciso realizar assaltos e matar animais para que pudessem sobreviver. A população que vivia em volta, assustada, logo denunciou a organização dos revoltosos na região e o governo brasileiro interveio para resolver a situação. Os revoltosos foram todos presos e o movimento facilmente liquidado antes mesmo de qualquer ação.

O que restou do Movimento Nacionalista Revolucionário nos anos seguintes fundiu-se com a Organização Revolucionária Marxista Política Operária (POLOP) e uma parte dos integrantes, que decidiu persistir no movimento inicial, acabou dando origem à Vanguarda Popular Revolucionária (VPR). Esses grupos foram responsáveis por diversas ações urbanas, como assaltos e sequestros, realizadas com o intuito de se arrecadar recursos para a causa revolucionária.

Fontes:
http://www.movimentorevolucionario.org/nacional.html

Arquivado em: História do Brasil