Prisão de Abu Ghraib

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

A Prisão de Abu Ghraib está localizada na cidade iraquiana com o mesmo nome.

Quando o Iraque ainda era colônia da Grã-Bretanha, os britânicos resolveram construir uma prisão em território iraquiano formando um complexo que ocupa uma área de 1,15 Km². A penitenciária de construção britânica está localizada a 32 Km da capital do Iraque, Bagdá. As obras ficaram prontas no ano de 1960, apresentando 24 torres de vigilância e o tamanho de uma pequena cidade. A divisão do complexo penitenciário se dá através de cinco áreas individualizadas por muros que recolhem tipos diferenciados de prisioneiros. Suas celas recolhiam mais de 40 presos em um espaço de 16 m².

A Prisão de Abu Ghraib ganhou grande destaque internacional por causa das atrocidades que foram cometidas na mesma. Em várias ocasiões os direitos humanos foram grosseiramente violados e, por isso, o complexo penitenciário se tornou tão expressivo na mídia internacional e nas manifestações de movimentos pela paz.

As torturas se mostraram rotineiras na história da Prisão de Abu Ghraib. Esta já esteve sob o controle dos britânicos, do governo ditatorial de Saddam Hussein e também dos estadunidenses. Em todos os casos pessoas foram torturadas.

Os primeiros governantes da Prisão de Abu Ghraib foram os britânicos, que fizeram o uso da tortura contra os então colonos iraquianos. Mas, em seguida, o controle do complexo penitenciário passou para as mãos do governo de Saddam Hussein no Iraque, o qual promoveu várias torturas e execuções de milhares de prisioneiros políticos. As fontes que dão conta da administração da prisão ainda são sigilosas, mas sabe-se que o número de mortos na prisão é altíssimo, principalmente o de xiitas. Durante a Guerra do Golfo foi a vez de prisioneiros ingleses, primeiros donos da prisão, serem torturados por ordem do ditador iraquiano.

Saddam Hussein aumentou sua notoriedade mundial através das torturas que eram promovidas na Prisão de Abu Ghraib. Mas a ação estadunidense no Iraque derrubou o ditador com a invasão do país em 2003. Nesta ocasião, muito dos documentos foram destruídos e a prisão foi saqueada em decorrência de sua inutilização.

A queda de Saddam Hussein levou os estadunidenses e sua coalizão internacional a comandar a Prisão de Abu Ghraib. Ainda em 2003, as cinco áreas que caracterizam o complexo penitenciário foram transformadas em prisão para estrangeiros. Já em 2004, um acampamento se instalou na Prisão de Abu Ghraib para proteger os prisioneiros.

A Frente de Ocupação liderada pelos Estados Unidos permaneceu na Prisão de Abu Ghraib até 2006. Por sua vez, os estadunidenses também utilizaram a prisão para praticar torturas com seus prisioneiros. Foram publicadas várias fotografias em jornais do mundo inteiro que revelaram os maus tratos do exército que invadiu o país com o pretexto de pacificá-lo e acabar com os crimes cometidos pelo ditador Saddam Hussein. Além disso, a Cruz Vermelha Internacional informou que aproximadamente 90% dos presos não tinham condenação legal ou foram capturados em situações injustificáveis.

Com o grande número de escândalos envolvendo a Prisão de Abu Ghraib e a pressão da comunidade internacional, os Estados Unidos declararam o seu fechamento em 2006. O pedido internacional foi para que houvesse a demolição do complexo penitenciário, entretanto ele foi reaberto em 2009 com outro nome, Prisão Central de Bagdá.

Fontes:
http://www.bbc.co.uk/portuguese/multimedia/2009/02/090221_abugraibebc.shtml
http://www.opendemocracy.net/media-abu_ghraib/article_2145.jsp
http://jurist.law.pitt.edu/currentawareness/abughraib.php
http://news.bbc.co.uk/2/hi/middle_east/7903052.stm
Foto: http://www.telegraph.co.uk/news/uknews/defence/8120959/British-troops-face-probe-over-Iraq-abuse-allegations.html (AFP/Getty Images)

Arquivado em: Idade Contemporânea