Questão das Investiduras

A questão das investiduras, ou guerra das investiduras, foi o conflito mais alarmante entre a Igreja contra o Estado na Europa medieval.

Tal fato aconteceu pois no século XI e XII uma série de monarcas estavam se intrometendo nas investiduras, ou seja, nas nomeações de bispos, abades, e até mesmo na nomeação dos próprios papas. Isso causou uma grande revolta por parte da Igreja e fez com que diversos Papas lutassem contra essas atitudes de certos monarcas, e até mesmo contra os próprios monarcas.

Essa intervenção dos Monarcas em assuntos da Igreja teve origem ainda no século VII, em que os Francos, bem como na Itália e na Espanha, tinham como comum prática a fundação de bispados e abadias, nomeando e depondo clérigos e controlando suas ações. Essa intervenção tinha apenas um objetivo visar os interesses pessoais do reino.

Em 1073, Hildebrando da Toscana, que já havia ocupado vários cargos dentro da Igreja Católica torna-se Papa e assume o nome de Gregório VII. Imediatamente ele adota uma série de medidas conhecidas como Reforma Gregoriana e decreta que só o Papa podia nomear ou destituir clérigos. Nesse período o Imperador do Sacro Império era Henrique IV e já havia nomeado seus próprios bispos e reagiu a toda essas medidas elaboradas por Gregório VII enviando-lhe uma carta na qual ele retirou o apoio Imperial ao Papa. Com essa atitude Henrique IV acabara de depor o Papa, pelo menos em território de seu domínio, e convoca uma eleição de um novo pontífice. Isso causa um grande tumulto, e abre-se as portas para um conflito que ficou conhecido como “Questão das Investiduras”. Gregório VII, a partir dessas atitudes de Henrique IV, o excomungou e também o depôs não considerando o poder de Henrique.

Em 1077 Henrique não teve escolha e viajou para Canossa, no norte da Itália, para encontrar o Papa e pedir desculpas pessoalmente. Como penitência de seus pecados ele usava uma túnica de lã e andava descalço na neve, esse episódio é conhecido como Penitência de Canossa. Com isso Gregório retirou a excomunhão do rei Henrique.

Essa briga entre Monarcas e Papado continuou por várias décadas, com cada papa diminuindo as influências dos monarcas dentro da Igreja Católica. Posteriomente Henrique IV foi sucedido pelo seu filho Henrique V, que acabou se rebelando contra as decisões de seu pai e em favor do papado.

Esse conflito acabou definitivamente em em 1122 quando lançaram-se a Concordata de Worms que adotou uma solução pacificadora: os Monarcas poderiam sim investir bispos porém sua autoridade seria secular, ou seja, não teriam autoridade sagrada, essa sim quem teria o poder de investir eram os papas.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Questão_das_investiduras
http://pt.wikipedia.org/wiki/Concordata_de_Worms
http://www.colegioweb.com.br/historia/a-questao-das-investiduras-10761122.html
http://www.coladaweb.com/historia/questao-das-investiduras