Sionismo

O sionismo foi o movimento que impulsionou a decisão da criação de um Estado independente para os judeus no território palestino. Com a realização do Primeiro Congresso Sionista, em 1897, os sionistas marcaram seu nome na história. Sion é uma colina de Jerusalém que deu origem ao termo.

Com aspirações nacionalistas, os sionistas pregavam que, na Bíblia, existia uma área chamada Canaã, que seria o território de Israel. O nome mais importante entre o grupo foi Theodor Herzl, judeu de origem húngara que fundou o movimento. Ele publicou a obra “Estado Judeu”, livro que apresentava um programa com o qual poderia ser resolvida a questão dos judeus. A obra começa a ganhar diversos adeptos, entre eles, Max Nordau, que começou a divulgar as ideias de Herzl e difundir seus conceitos na Europa.

Entre os principais objetivos dos sionistas no Primeiro Congresso Sionista Mundial, podem ser citados: afirmação dos judeus por esforço conjunto, colocando em destaque a questão judaica, e a continuidade histórica dos judeus e sua fatal de identificação com a Palestina.

Outro episódio que deu maior sustentação para o movimento sionista foi a Declaração de Balfour, realizada pelo lorde inglês Balfour e que favorecia a criação do Estado de Israel como um lar nacional para os judeus na Palestina. Outro fator decisivo foi a autorização dada pela Liga das Nações em 1922.

A maior realização sionista foi a efetiva criação do Estado de Israel. Porém, com a fundação deste território, tiveram início os conflitos entre palestinos e judeus. Estes embates foram ampliados durante os anos 30, quando ocorreu um imenso processo de emigração de judeus perseguidos pelo nazismo, que encontraram refúgio em Israel. Até hoje, esta questão ainda não foi solucionada.

De acordo com Vladimir Jabotinsky, líder sionista, no livro “A muralha de ferro”: "Não cabe pensar em uma reconciliação voluntária entre nós e os árabes, nem agora nem num futuro previsível, Todas as pessoas bem intencionadas, salvo os cegos de nascimento, compreenderam há muito a completa impossibilidade de se chegar a um acordo voluntário com os árabes da Palestina para transformar a Palestina de país árabe em um país de maioria judia. (…) Tente achar ao menos um exemplo de colonização de um país que aconteceu com o acordo da população nativa".

Fontes:
http://sionismo.net/
http://www.infopedia.pt/$sionismo
http://www.cprepmauss.com.br/documentos/declaracaodebalfourde191789221.pdf
http://www.midiaindependente.org/pt/green/2004/02/274417.shtml

Arquivado em: Idade Contemporânea