Percevejos de cama

Os Cimicidae são insetos popularmente conhecidos como percevejos de cama. Os percevejos eram muito comuns em diversas partes do mundo até o final da década de quarenta. Durante as décadas de 50 e 60, devido ao uso de inseticidas de efeito residual como o DDT e BHC, além da melhor higiene doméstica, como trocar e lavar roupas de cama e varrer a casa, esses insetos tornaram-se raros. Hoje em dia, em vista de ter aparecido a resistência, o aumento da densidade populacional nas periferias das cidades e das baixas condições sociais, está ocorrendo um novo surto de percevejos em numerosas cidades brasileiras. Este surto está acontecendo principalmente em favelas, acampamentos de operários de grandes obras civis e nos quartéis, locais onde há uma maior densidade de pessoas. É necessário o reestudo dos hábitos e da ecologia dos percevejos para seu controle. Sua importância médica está relacionada diretamente com a espoliação sanguínea e a interrupção do repouso noturno de nós humanos.

É um parasita que se alimenta de sangue, é hematófago obrigatório. Uma fêmea é capaz de botar até 540 ovos durante sua vida, que é mais de um ano.  O ciclo evolutivo passa por essas fases: ovo-eclosão-ninfa. O período de incubação dura cerca de dez dias; o ciclo demora cerca de três meses do primeiro estágio de ninfa até ficar adulto em ambiente de 23 graus Celsius em média.

Sua classificação compreende seis subfamílias, mas apenas uma possui interesse médico que é a Cimicinae. O gênero mais importante é o Cimex, e as espécies que são ectoparasitas de humanos são: Cimex lectularius e Cimex hemipterus. Os morcegos parecem mesmo ser os hospedeiros importantes do gênero Cimex, uma vez que nos Chiroptera são encontradas numerosas espécies desse inseto. Os morcegos frugívoros e insetívoros urbanos estão sendo incriminados como sendo disseminadores ou fontes de infecção de surtos de Cimex lectularius e Cimex hemipterus que tem ocorrido em casas e apartamentos de algumas cidades.

Para medidas de controle o usual é ter uma ótima higiene doméstica, como trocar e lavar as roupas de cama semanalmente e varrer a casa diariamente, estas medidas são eficazes para impedir colonização desses insetos nas camas. Caso já existirem nas casas ou nos galinheiros, há a necessidade de utilização de inseticidas. Os inseticidas BHC (clorado) e DDT possuem uma excelente ação porém não são mais comercializados.  Pode-se usar o Malathol a 2% ou o Dursban a 0,25%. O modo de aplicação é por pulverização nos locais em que são vistos os percevejos. A aplicação do famoso K-othrine (piretróide) surte excelente efeito com intervalo de 10 a 30 dias em sua aplicação.

Fonte:
Forattini, Revista de Saúde Pública, volume 24, 1990.
Nagem,R.L. Tese de Doutorado, 1990.
Neves, D.P. et. al., Parasitologia humana, 11°edição, editora Atheneu.

Arquivado em: Insetos