Sufismo

O sufismo é uma linha mística do islamismo. Apesar de sua origem, sofreu perseguição dos muçulmanos em diversos momentos da história. A justificativa para isso era a ameaça ao monoteísmo do islamismo. Por outro lado, o Alcorão também serve como inspiração para o sufismo.

A palavra sufismo é derivada do termo árabe suf, que significa lã. Historicamente, os seguidores do sufismo costumavam vestir apenas lã pura, pois era uma forma de representarem sua negação aos confortos do mundo.

Outra diferença do islamismo para o sufismo está na meditação, enquanto os primeiros creem que as cordas vocais e os instrumentos musicais estão ligados ao demônio, os segundos utilizam a música para alcançar um estado mental elevado que se aproxima do contato com Deus.

Para chegar a este patamar, os sufistas fazem uso da poesia e batidas rítmicas de tambores. A meditação com o som produzido leva-os a um estado de transe. Esta técnica também era utilizada pelos adeptos do vodu, que tem origens africanas. Um dos mais tradicionais tipos de música sufista é feito pelos dervixes, famosos por suas músicas rápidas e danças agitadas.

No ritual de meditação, os sufistas cantam o dhikr, que é o ato de repetir inúmeras vezes os textos sacros do Alcorão e o nome de Deus. Este ritual faz com que o sufista entre em estado de auto-hipnose, no qual explora os caminhos que levam a Deus.

Além da diferença da meditação, o sufismo tem outro ponto de discordância com as ideias do islamismo. Este é referente à “Noite da Viagem”, conhecida também como miraj, na qual Maomé, através dos Portões do Céu, chega à presença de Deus. Para o islamismo, Maomé realizou a jornada de corpo e alma, já os sufistas veem o episódio como uma forma de ascensão espiritual interna.

A história do sufismo é dividida em três momentos: clássico, medieval e moderno. Em meio à diversas formas de perseguição sofridas, um dos  nomes importantes é o de Husayn ibn Mansur al-Hallaj, que foi crucificado no ano de 922 após declarar a seguinte frase: “Eu sou a verdade”.

Tamanha foi a perseguição contra os sufistas que eles tiveram que criar códigos para a propagação de suas ideias. Elaboravam poesias complexas, disfarçando as frases que pudessem ser entendidas como contrárias à existência de um único Deus.

De todas as épocas do sufismo, o período onde alcançaram seu auge foi na era moderna, que fica entre os anos de 1550 e 1800.

Fontes:
FARRINGTON, Karen. História Ilustrada da Religião, São Paulo: Editora Manole, 1999.
http://periodicos.pucminas.br/index.php/horizonte/article/view/528
http://pt.scribd.com/doc/54403579/o-Sufismo-e-a-Enfase-no-Tempo-Presente

Arquivado em: Islamismo