Bushido

"Bushido" é um termo da língua japonesa que significa literalmente "caminho do guerreiro" (do japonês "bushi" = guerreiro; "do" = caminho). Este correspondia a um código de honra subentendido, não escrito e que de certa forma ditava o modo de vida dos guerreiros samurais do Japão feudal. Era uma série de regras que davam parâmetros ao guerreiro para que este tivesse uma vida e morte com honra.

O bushido assim está intimamente ligado à história dos samurais, em especial os guerreiros dos períodos Heian e Tokugawa. Entre as principais virtudes do código de honra dos samurais, podemos citar "gi" - justiça, "yuu" - coragem, "jin" - benevolência, "rei" - educação, "makoto" - sinceridade, "meiyo" - honra e "chuugi" - lealdade. Para essa classe guerreira, seguir o bushido, era dar ênfase à lealdade, fidelidade, auto sacrifício, justiça, modos refinados, humildade, espírito marcial e honra, mas, acima de tudo, morrer com toda dignidade. O samurai quase sempre optava pela morte, ao contrário da desonra, que constituía uma mancha que marcaria toda a família deste guerreiro. Esta era uma vergonha que nenhum samurai conseguia suportar.

As bases deste código de honra podem ser encontradas nas filosofias religiosas contidas no xintoísmo (religião tradicional local), budismo e confucionismo (estas duas crenças, trazidas por meio da influência chinesa no país). É vista como influência budista no código samurai o destemor apregoado neste e o desprezo pela morte. O budismo ensinava que em meio às contínuas reencarnações, o samurai voltaria como guerreiro, em meio ao aperfeiçoamento de sua alma, e além disso, as técnicas de meditação Zen era outro dos conceitos budistas aplicados à esfera militar: era através destas que o guerreiro treinava a mente para ultrapassar o medo da morte em combate.

Os samurais também absorveram e adotaram em meio ao seu código premissas vindas do xintoísmo, como por exemplo a lealdade e o patriotismo, além da reverência aos antepassados, o chamado "culto aos ancestrais".

A terceira grande influência contida no bushido encontra-se nos ensinamentos do confucionismo, a religião/filosofia vinda da China. É emprestado ao confucionismo os conceitos adotados pelos samurais de respeito aos pais, as relações entre marido e esposa, pai e filho, patrão e servo, relações entre amigos, a noção de justiça, de amor, benevolência, sinceridade, honestidade e autocontrole.

A obra considerada a mais importante acerca do bushido é o "Hagakure" (folhas escondidas ou ocultas, em japonês), de autoria de Yamamoto Tsunetomo, um samurai que viveu durante o século XVII, originário da província de Saga, na ilha de Kyushu, ao sul do Japão. Em um trecho, o autor deixa evidente a aceitação inevitável da morte, da perspectiva do seguidor do bushido, no trecho:

"O Bushido implica em escolher sempre a morte quando houver a possibilidade de escolha entre viver e morrer"

Bibliografia:
Sobre o Bushido. Disponível em <http://www.bushido-online.com.br/bushido>. Acesso em: 10 nov. 2011.

REDAÇÂO NITEN. Bushido - O Caminho do Guerreiro Samurai. Disponível em <http://www.niten.org.br/penaespada/penaartigos/bushido2.htm>. Acesso em: 10 nov. 2011.

Arquivado em: Japão