Análise Crítica do Discurso

A Análise Crítica do Discurso, desenvolvida em no final da década de 1980, é uma abordagem do papel do discurso – língua – enquanto prática social e de todas as suas áreas de influência. O contexto discursivo na Análise Crítica do Discurso é parte crucial e centro de toda a análise, bem como as ideologias presentes no mesmo.

Norman Fairclough é o autor responsável pelo desenvolvimento da Análise Crítica do Discurso, ou ACD. Segundo o método analítico de Fairclough o discurso possui três áreas de análise que juntas possibilitam a compreensão do papel social do discurso: análise de textos falados ou escritos, análise da prática discursiva – que consiste no processo total de produção distribuição e consumo dos textos – e análise do discurso como uma fração da prática cultural de uma sociedade.

A ACD analisa o discurso com base no nível de acesso à diversidade de conhecimento que tem uma determinada população, acesso este controlado pelas influências sociais como governo, crença e nível econômico. A partir disto, segue a análise mais aprofundada do discurso, que não leva e consideração apenas aspectos da lingüística ou da gramática, mas sim o discurso como reflexo do meio em que é produzido, e tudo o que o mesmo pode revelar sobre a população analisada.

Considerar a Análise Crítica do Discurso como hiperlinguística ou supralinguistica é classificá-la como uma análise abrangente do discurso, que ultrapassa as linhas da língua e inclui na crítica elementos externos ao texto falado ou escrito, como contexto histórico, sócio-cultural e político.

A abordagem da Análise Crítica do Discurso tem base na teoria social, levando em consideração pensadores como Marx e Althusser, ou seja, a ideologia presente no discurso analisado pela ACD é objeto principal de exame. Fairclough coloca o discurso, a língua, como principal ferramenta ideológica nas lutas de poder.

A ACD é uma análise profunda do discurso que leva em consideração o seu contexto de produção, o discurso como prática social, e para tal as relações de poder, domínio, discriminação e controle, como estas relações são mantidas através da língua. O discurso reflete o local de sua produção, portanto através dele é possível compreender o contexto social de uma determinada parcela de uma sociedade e todas as vertentes que possam acompanhá-lo. As ideologias utilizadas pelos grupos de domínio e quais são as estratégias discursivas utilizadas para a manutenção das mesmas.

O discurso reflete muito do contexto de uma população, e a Análise Crítica do Discurso tem por intuito exaltar o meio de produção discursiva, levando em conta não apenas os aspectos lingüísticos e gramaticais, mas também os aspectos sócio-culturais.

Fontes:
http://www.filologia.org.br/ixcnlf/3/04.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Análise_crítica_do_discurso