Pragmática

Especialista em Planejamento, Implementação e Gestão da Educação a Distância (UFF)
Graduação em Letras (Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira, FUNCESI)

A Pragmática é a ciência que estuda o uso da linguagem. Ela surgiu como oposição à ideia de que o sentido está exclusivamente no texto. Sob essa ótica, basta que o indivíduo interprete o sentido das sentenças para que a comunicação se efetive. A Pragmática busca estabelecer a relação entre o conhecimento linguístico, em termos sintáticos (construção das frases) e termos semânticos (significado das frases), com o contexto em que essas frases foram empregadas. Em outras palavras, ela leva em consideração não somente a língua, mas também a situação de comunicação.

Esse tipo de estudo é fundamental porque os sentidos dos enunciados só podem ser compreendidos, mediante o contexto em que os interlocutores (os envolvidos com o ato de interação) estão inseridos e os conhecimentos de mundo partilhados por eles. Dessa forma, a Pragmática procura compreender o modo como as pessoas interagem entre si quando usam a linguagem. Vamos entender melhor a perspectiva pragmática? Então, leia esta tira de Fabiano dos Santos:

Houve um mal-entendido na comunicação entre as minhocas, não houve? O que causou esse mal-entendido? O duplo sentido da frase “Olhem, o passarinho!”. A minhoca-fotógrafa disse essa frase no sentido literal, já que ela avistou, conforme descobrimos depois, um passarinho. Como ele representa uma ameaça à vida das minhocas, ela correu para se esconder. Porém, as minhocas interpretaram a frase no sentido conotativo, já que elas estavam na pose para a foto. O mal-entendido custou a vida das pobrezinhas... Que dó! Bom, o aviso não se concretizou.

Viram só como o contexto comunicativo é importante? Isso porque uma mesma frase pode ter sentidos diferentes! A entonação é outro elemento que merece a nossa atenção. Podemos deduzir, em função da situação, que a frase “Olhem, o passarinho!” não foi pronunciada com alegria, como acontece na fala de alguém que se prepara para tirar uma foto. Mas, a dupla de minhocas de tão concentrada e feliz, nem percebe as reações da outra. É importante destacar que o referido mal-entendido tem um propósito, já que é nele que reside o humor da tira. É tarefa da Pragmática explicar o que faz com que os interlocutores se entendam e também o que faz com eles não se entendam.

Leia, agora, este cartum de Fabiano dos Santos:

O cartum acima tem o objetivo de criticar o comportamento das pessoas que se alimentam mal e, por consequência, se tornam obesas. Para tal, o autor constrói um contraste entre dois rapazes, por meio de elementos verbais e não verbais. De um lado, um que se alimenta de modo não saudável (hambúrguer, refrigerante e batatas fritas) e demonstra satisfação visto que irá saborear essas guloseimas. Por isso, está acima do peso. Do outro, o que se alimenta de forma saudável (suco, frutas, verduras, legumes). Com isso, apresenta um físico considerado bom ou ideal.

Quando o primeiro diz “Finalmente! Vou matar a fome.” e o segundo comenta “Se continuar assim, não é só sua fome que você matar.”, deduzimos que, com esse comentário, ele quer dizer “Você vai matar a si mesmo”. Indo mais além, concluímos que ele quer dizer (aconselhar) “Mude de alimentação. Siga o meu exemplo!”. Essas informações não aparecem explícitas no texto, ou seja, não foram citadas no texto. Elas aparecem implícitas, subentendidas. Para identificá-las, fazemos inferências. Mas, o que é inferir? É identificar os sentidos, por meio de deduções e conclusões, possibilitadas pelas marcas linguísticas do texto em conjunto com a situação e os conhecimentos prévios do interlocutor (o leitor).

Levando-se em consideração o que foi exposto anteriormente, é essencial reforçar a ideia de que o sentido não está pronto no texto, mas precisa ser construído. Quem diz, lança mão de diferentes recursos para ser compreendido, e o destinatário precisa apresentar um repertório linguístico e social que lhe permita compreender o que foi dito explícita e implicitamente. É a Pragmática que estuda e explica esses sentidos construídos nas mais variadas situações de interlocução.

Referências:

BRÄKLING, Kátia Lomba. Informação implícita no texto. In: Glossário Ceale. Disponível em: <http://ceale.fae.ufmg.br/app/webroot/glossarioceale/verbetes/informacao-implicita-no-texto>. Acesso em: 21 de novembro de 2019.

FIORIN, José Luiz. A linguagem em uso. In: ___ (org.) et al. Introdução à Linguística. 6.ed. 7ª reimpressão. São Paulo: Contexto, 2019. p.165-186.

ILARI, Rodolfo. Pragmática. In: Glossário Ceale. Disponível em: <http://ceale.fae.ufmg.br/app/webroot/glossarioceale/verbetes/pragmatica>. Acesso em: 21 de novembro de 2019.

SANTOS. Fabiano. Koizas da vida – tirinha. Disponível em: <https://fabianocartunista.wixsite.com/portfolio/tirinhas?lightbox=dataItem-iphchezv1>. Acesso em: 21 de novembro de 2019.

____ Koizas da vida – cartum. Acesso em: <https://fabianocartunista.wixsite.com/portfolio/cartuns?lightbox=dataItem-iypmrzgo>. Acesso em: 21 de novembro de 2019.

Arquivado em: Linguística, Redação