A Arte da Prudência

A Arte da Prudência ou Oráculo Manual e Arte de Prudência é uma obra do escritor e padre jesuíta espanhol Baltasar Gracián y Morales. Editado pela primeira vez na cidade aragonesa de Huesca, em 1647, seu título original é “Oráculo manual y arte de prudência”, considerada obra-prima da literatura barroca espanhola, que traz uma coleção de trezentos aforismos, cada um com um comentário, sobre vários temas, dando conselhos e orientações sobre como viver plenamente, avançar socialmente, e ser uma pessoa melhor.

“Oráculo” é uma resposta dada por uma divindade a uma questão pessoal através de artes divinatórias. Aqui, o termo é utilizado de forma irônica; o adjetivo “manual” indica um uso prático e portátil. Assim, este seria um livro de respostas pessoais de uso prático. Finalmente, aforismo é um termo emprestado do grego αφορισμός – aphorismos, que significa "definição", ou uma sentença concisa. Com este tratado, esta coleção de aforismos, Gracián resume vários preceitos de suas obras anteriores dedicadas à filosofia moral.

Curiosamente, a primeira edição de A Arte trazia como autor Lorenzo Gracian. Tratava-se de um pseudônimo usado para evitar a censura dos sacerdotes Jesuítas. Autor prolífico, Gracián teria alegadamente utilizado vários de seus textos anteriores para compor este novo livro: de fato, este era um procedimento comum em obras na Antiguidade clássica, imitado por autores europeus de renome da época. Seu texto não traz uma estrutura definida, mas, podemos delinear ao longo dos trezentos aforismos um padrão, com pensamento estratégico, mesmo que existam algumas contradições no meio do caminho. Através do “saber”, ou conhecimento das regras de comportamento o leitor encontraria o sucesso: o saber aceitar, o saber apresentar-se, o saber entender, etc. Gracián se preocupa ainda em salientar a inutilidade do conhecimento que não possui aplicação prática. Para ele, todo o conhecimento deve ser orientado ao “saber viver”, algo que na época era chamado de “Filosofia Moral”.

O Oráculo despertou o interesse não somente dos amantes da literatura, mas de pensadores ​​e filósofos que viveram desde a época de sua primeira publicação até os dias atuais. É notavel o interesse que o filósofo alemão Arthur Schopenhauer dedicou a este pequeno livro, chegando ao ponto de aprender espanhol para que pudesse melhor trduzi-lo. Aliás, a sua tradução de A Arte permanece ainda hoje como a mais importante da obra em língua alemã.

Hoje, o conteúdo de A Arte da Prudência é visto como uma espécie de precursor dos inúmeros manuais de autoajuda que frequentemente povoam o mercado literário. De fato, uma de suas versões para a língua inglesa, lançada em 1992, superou o número de 150 mil cópias vendidas, ao ser apresentado como um manual de autoajuda para executivos. Diferente da maioria dos livros modernos, este demonstra ter passado no teste do tempo devido ao cuidado em sua composição, que o torna de fato, num verdadeiro tratado filosófico.

Arquivado em: Livros