Alice no País das Maravilhas

O clássico da língua inglesa, Alice no País das Maravilhas, é a criação mais renomada do escritor e matemático britânico Lewis Carroll, pseudônimo artístico de Charles Lutwidge Dodgson.

Este livro, famoso exemplar do estilo literário conhecido como nonsense, caracterizado pelo humor desconexo, narra as aventuras vividas por Alice, uma garota que, movida pela curiosidade, segue um estranho coelho branco que passa por ela apressado demais, e assim cai acidentalmente em uma toca atravessada pelo animal. Desta forma ela chega a um lugarejo irreal, repleto de seres especiais e imaginários, providos de atitudes humanas.

Neste universo fantástico ela se depara com criaturas as mais bizarras, através das quais o autor se refere a obras populares em sua época e à poética da era vitoriana, o que às vezes confunde um pouco os leitores, que desconhecem as fontes nas quais Carroll se inspirou. Além do mais, ele também exercita aspectos lúdicos das disciplinas lógicas que expressam sua face racional.

Perdida em uma esfera distante do mundo real, desprovida das leis que regem o mundo social, Alice se confunde entre tantas mudanças de tamanho, durante as quais se alternam as diversas proezas por ela vivenciadas. Uma hora em escala reduzida, ela quase se afoga nas próprias lágrimas; em outro momento, alta demais, ela se vê sem possibilidade de atravessar os espaços que deseja transpor, mas ao mesmo tempo pode se equiparar às próprias árvores, quando encontra o Pombo que debate com ela questões da mais pura lógica. Desta forma a garota parece revezar experiências da infância e do universo adulto, oscilação típica da adolescência.

Por vezes ela entrevê espaços aparentemente paradisíacos, aos quais ela ainda não consegue chegar, como o jardim que mais tarde ela alcança, cenário de uma das passagens narrativas mais famosas, a de seu encontro com a Rainha de Copas. Nesta paisagem ela vive momentos de prazer, perplexidade e terror, aparentemente entrando em contato com os vários aspectos da existência, antes dissimulados diante do olhar infantil.

Outra célebre aventura narrada nesta obra é a que se passa na morada da Lebre, onde Alice é uma das convidadas na Festa da Hora do Chá, ao lado de sua anfitriã, do Chapeleiro Louco e do Rato do Campo. Neste recanto o Tempo é o personagem principal, pois do ponto de vista do Chapeleiro, ele está eternamente destinado a marcar seis horas das tarde, justamente o instante da cerimônia do chá. Os seres aí presentes são os habitantes da terra encantada que mais estão dispostos a debater, argumentar e contra-argumentar, talvez por não estarem sujeitos às instâncias temporais.

Ao despertar, em um momento crítico para a protagonista, durante o qual ela está sendo perseguida pelas cartas da Rainha, Alice se dá conta de que tudo fora apenas um sonho. Mas até que ponto suas experiências no País das Maravilhas podem ser diferenciadas das vivências no mundo real? Talvez esta seja uma das inúmeras questões levantadas por Carroll nesta obra dedicada a sua amiga, Alice Pleasance Liddell, de 10 anos, que ao lado das irmãs, ao navegar pelo Rio Tâmisa, em 1862, ouviu em primeira mão a narrativa que mais tarde daria origem a este clássico inglês. A própria garota pede a Lewis que lhe presenteie com a versão escrita desta história.

Em 1864 ele entrega à amiga a primeira versão, intitulada Alice's Adventures Underground, ou As Aventuras de Alice Embaixo da Terra. Posteriormente ele tem a idéia de editar o livro e, para tanto, amplia a primeira edição, adicionando as passagens do Gato de Cheshire e do Chapeleiro Maluco. A primeira tiragem é retirada de circulação por apresentar problemas de impressão, mas a segunda leva é vendida rapidamente, o que contribui para transformar este livro em uma obra de renome, que inspira inúmeros espetáculos teatrais, filmes, animações, e é traduzida e adaptada para os mais diversos idiomas.

Fontes
http://pt.wikipedia.org/wiki/Charles_Lutwidge_Dodson
http://www10.brinkster.com/ricardomoraes/pt/res/resalice.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Alice_no_País_das_Maravilhas

Arquivado em: Livros