Os Homens que Não Amavam as Mulheres

A maior novidade literária do mundo moderno provém da Suécia. O nome do autor é Stieg Larsson, e sua obra-prima é a trilogia Millennium. Os homens que não amavam as mulheres é o primeiro livro; ele acaba de ganhar uma versão cinematográfica protagonizada por Rooney Mara e Michael Nyqvist.


O livro é praticamente unanimidade entre os críticos, e os ótimos resultados não são casuais. O autor estrutura um enredo que passa pela agitação do mercado financeiro, por um incessante desrespeito à vida pessoal do outro, pela agressão da sexualidade feminina, por comunidades neofascistas e pela constante usurpação do poder.

Além disso, Stieg sabe como construir seus personagens; basta analisar a protagonista, Lisbeth Sander, hacker extraordinária. Muito magra, seu corpo é todo preenchido por piercings e tatoos. A maneira de agir é quase catatônica, e a aproxima de um universo marginal. A trama é simplesmente eletrizante, e quando se inicia a leitura, é um desafio parar antes da imprevista conclusão.

A história transcorre nas proximidades de uma ilha, em 1966, quando a sucessora da vasta estrutura econômica liderada pelo clã dos Vanger, Harriet, desaparece sem deixar qualquer pista. A partir deste momento o chefe da família, Henrik Vanger, ganha uma vez por ano uma flor inserida em uma moldura, exatamente o mesmo mimo oferecido pela jovem, na mesma ocasião, até sua ausência completa.

Henrik tem certeza de que Harriet foi morta, e que o assassino é um integrante do núcleo familiar. Passados quarenta anos de seu desaparecimento, o magnata negocia com o jornalista Mikael Blomkvist. Em troca de apoio a sua revista Millennium, que enfrenta momentos difíceis, e de evidências contra o especialista em finanças, Wennerström, ele deve empreender uma averiguação sistemática dos fatos que envolvem a morte da herdeira do clã.

Mikael fora recentemente punido pela justiça, acusado de desacreditar publicamente o poderoso financista, e a Millennium corre o risco de ser extinta. Assim, não lhe resta outra opção senão aceitar a proposta do industrial. Mas aos poucos ele se dá conta de que só receberá hostilidades da parte dos Vanger.

O jornalista recebe a ajuda bem-vinda de Lisbeth Sander, a qual conta com uma inteligência diligente, especialmente na obtenção de informações em grande parte indecentes. A dupla imediatamente compreende que está lidando com mistérios e ações cruéis perpetradas pela família Vanger. E que tudo teve início bem antes do sumiço de Harriet.

Stieg Larsson nasceu em Skelleftehamn, na Suécia, no dia 15 de agosto de 1954. Jornalista e escritor, ele morreu precocemente em 2004, quando tinha apenas cinquenta anos, logo depois de concluir os originais da Trilogia Millennium. Ele não pode desfrutar da fama advinda do sucesso de sua obra.

Fontes:
http://www.livrariaresposta.com.br/v2/produto.php?id=4832
http://pt.wikipedia.org/wiki/Stieg_Larsson
http://www.imagemfilmes.com.br/imagemfilmes/principal/filme.aspx?filme=103207

Arquivado em: Livros