Capivara

Graduada em Ciências Biológicas (USU, 2009)

A capivara - Hydrochoerus hydrochaeris - é um animal mamífero herbívoro nativo da América do Sul e também o maior roedor do mundo. É dependente da água para sobreviver e apresenta comportamento similar ao porco como rolar na lama. Podem ser encontradas desde o Panamá até o Uruguai, exceto na Cordilheira dos Andes.

As características mais comuns às capivaras são: apresentam comprimento entre 1,00 e 1,35 m, peso em torno de 60 kg, chegando a alguns casos a superar os 80 kg, o corpo é totalmente recoberto de pelos em tons de marrom, tem pescoço curto e volumoso e não consegue girá-lo para trás, necessitando, para isso, girar também o corpo. O lábio superior apresenta características leporinas, assemelhando-se um pouco ao do cavalo.

Capivara. Foto: MyImages - Micha / Shutterstock.com

O habitat natural da capivara são os corpos de água permanentes, ou seja, rios, lagoas e, em último caso pântanos. A água serve como esconderijo e proteção contra os predadores naturais, além de ser utilizado para a reprodução. Além da necessidade de escolherem corpos d’água próximos a regiões com abundância de alimentos, constituídos de certos tipos de capim, ervas e determinadas plantas aquáticas.

A capivara possui uma elevada fecundidade e fertilidade, tornando-a uma das mais prolíferas entre os animais herbívoros. Os machos e fêmeas são dificilmente distinguidos a não ser verificando as genitálias. As genitálias são cobertas por um saco anal, que se abre no momento da cópula; as glândulas mamárias são pequenas e pouco visíveis. A gestação dura em torno de 150 dias; em média nascem 4 filhotes por gestação e podem ocorrer até 2 partos por ano. O pelo dos filhotes de capivara apresenta-se curto e de cor escura com tonalidade castanho-claro e castanho-escuro ou quase preto. Quando o animal atinge cerca de 13 kg, desaparecem os vários tons de cores para dar lugar a uma cor castanho-clara uniforme. Ao atingir um ano de idade, já possui pelo mais longo, com a cor variando do marrom-escuro ao castanho-claro, ou ainda cinzento. Entretanto, a cor marrom-escura parece ser a predominante.

Capivara e seus filhotes. Foto: Steve Meese / Shutterstock.com

A capivara é um animal calmo e manso de maneira geral e principalmente quando se sente seguro, mas também são territorialistas, havendo brigas entre machos quando um deles invade o território alheio. Pastam preferencialmente ao entardecer, locomovem-se pouco durante o dia e principalmente nas horas mais quentes do dia. A população de capivaras se forma com grupos estáveis, variando de 8 a 40 indivíduos, com animais de ambos os sexos. Em média, uma família ou grupo tem de 7 a 10 animais. No período da seca, as manadas podem chegar até 100 animais. Na ausência da condições ideais para a sobrevivência da população, tais como disponibilidade de água, alimento e vegetação para se abrigar, os animais nadam para outras áreas. O mesmo acontece quando a região onde habitam apresenta períodos secos prolongados, afetando a disponibilidade de água.

Os machos dominantes marcam o território, porém todos os integrantes do grupo participam do sistema de marcação. A marcação geralmente ocorre com o esfregar da protuberância glandular do focinho nos troncos de árvores, arbustos e vegetação herbácea. Os outros integrantes passam a região ventral do seu corpo nas plantas eleitas para a marcação, urinando sobre elas e esfregando a região genital sobre as ervas. A comunicação entre as capivaras acontece através da emissão de gritos roucos que sinalizam ameaçadas e de gritos curtos e agudos que servem para orientar e manter o grupo unido.

Bibliografia:

JIMÉNEZ, E. G. El capibara (Hydrochoerus hydrochaeris): estado actual de su producción. Roma: FAO, 1995. 110 p.

SILVA, E. A Capivara: uma ampla revisão sobre este animal tão importante. Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais, 2013.

SILVA, L. F. W. Criação de capivaras em cativeiro. São Paulo: Nobel, 1986. 69p.

Arquivado em: Mamíferos