Produção in vitro de Embriões bovinos

A Produção in vitro (PIV) é uma biotecnologia utilizada na produção de animais geneticamente superiores, impedindo o descarte de fêmeas geneticamente privilegiadas que possuem alguma alteração adquirida que impeçam a reprodução de ocorrer de forma natural.

A obtenção dos oócitos que serão utilizados na técnica pode ser de duas formas:

  • Punção de ovário in morto: após o abate do animal, são recolhidos seus ovários e armazenados em banho maria a uma temperatura de 30°C. Em seguida são puncionados os seus folículos com o auxílio de uma seringa agulhada. O material coletado é centrifugado e, posteriormente, depositado em uma Placa de Petri, sendo visualizado em uma lupa binocular para serem selecionados os oócitos.
  • Punção de ovário in vivo: esta técnica é realizada no animal vivo, com o auxilio de um aparelho de ultra-sonografia, guiado por um transdutor, onde é acoplada uma agulha ligada a uma bomba de vácuo. O material é coletado e encaminhado para o laboratório, lavado e em seguida, observado em uma lupa binocular para serem selecionados os oócitos.

Os oócitos são classificados de acordo com sua quantidade de células do cumulus oophorus e a qualidade intracelular. Podendo ser:

  • Grau 1: cumulus compacto, contendo mais de três camadas de células e citoplasma da célula homogêneo.
  • Grau 2: cumulus compacto, parcialmente presente ao redor do oócito, com menos de três camadas celulares. O citoplasma da célula possui granulações distribuídas de modo heterogêneo.
  • Grau 3: cumulus presente, mas expandido. O citoplasma apresenta-se contraído, degenerado, fragmentado ou apresentando vacúolos.
  • Desnudo: o citoplasma possui granulações homogêneas, mas as células do cumulus estão ausentes.
  • Atrésicos: o citoplasma possui granulações irregulares e células do cumulus enegrecidas em meio de maturação.

Logo após, os oócitos selecionados, compreendidos entre o grau 1 e 3, são colocados em um meio de maturação e, em seguida, é realizada a fertilização in vitro. Após o sêmen bovino ser descongelado e diluído, sua concentração é ajustada e ele é colocado junto aos gametas femininos (oócitos) para serem fecundados. Após um período de 16 a 18 horas, os prováveis zigotos são lavados em um meio apropriado para a eliminação de possíveis fontes de contaminação e depositados em uma Placa de Petri contendo meio de cultura. Essa etapa é chamada de Cultivo in vitro (CIV).

Após 48 horas de realizada a CIV, pode ser realizado o feeding, processo que tem por finalidade substituir o meio de cultura onde estão inseridos os embriões. Este processo é realizado em duas etapas, sendo que a segunda ocorre 48 horas após a primeira.

Após sete dias de iniciada a PIV, é feita a análise da clivagem dos embriões em uma lupa binocular. Neste estágio é comum encontrar as fases de blastocisto, blastocisto inicial, blastocisto expandido, blastocisto eclodido e até mesmo mórulas e embriões degenerados. Com exceção dos dois últimos estágios, os outros podem ser transferidos para uma receptora ou então, congelados para um uso posterior.

Fontes:
Biotécnicas Aplicadas à Reprodução Animal – Paulo Bayard Dias Gonçalves, José Ricardo de Figueiredo e Vicente José de Figueiredo Freitas. Ed: 2° (2008). Editora Roca.
http://www.geraembryo.com.br/t.tecnicos/17 Joaquim Garcia.pdf

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.