Alaúde

É chamado alaúde o instrumento cordofone de braço (local onde repousa a mão que pressiona as cordas) curto, utilizado para solo, bastante popular na música do período do Renascimento na Europa. Sua importância na música renascentista é bastante enfatizado em pinturas, gravuras e descrições de época. Além disso, o alaúde é ancestral direto de boa parte dos instrumentos de corda surgidos na Europa em épocas posteriores.

O instrumento foi criado certamente tendo em mente os instrumentos trazidos pelos árabes à Península Ibérica, pois estes, além de exercerem o domínio político nesta região, logo influenciaram também culturalmente não só os territórios sob seu domínio, mas boa parte da Europa. Os árabes, por sua vez, haviam imitado e também aperfeiçoado um instrumento que conheciam da China, chamado "pipa", ainda bastante utilizado na música tradicional chinesa. A cultura e o uso do instrumento de corda de braço curto foi viajando, assim, através da famosa "rota da seda", transformando-se no "al-ud" ou simplesmente "ud" dos árabes, convertendo-se então no alaúde europeu.

Ainda no fim da Idade Média, os europeus utilizavam um instrumento bastante similar ao ud árabe, com quatro pares de cordas, tocado de forma similar, e não utilizado em solos, mas como parte de uma pequena orquestra, dando o ritmo e a melodia. O uso de um plectrum (palheta), assim como em seu parente árabe, limitava as suas possibilidades. Na metade do século XV, o alaúde já contava com cinco pares de cordas, e no XVI, mais um par era adicionado, chegando ao fim do século XVI ao número de 20 cordas, organizadas em 10 pares. Além disso, a técnica mudava, sendo agora o instrumento dedilhado, abandonando-se a palheta ou plectrum. Já nessa época, era o instrumento de maior popularidade entre os músicos, sendo a primeira escolha para acompanhamento vocal e música de câmara.

Durante o período barroco o desenvolvimento do alaúde que até então possuía uma forma unificada de construção e afinação por toda a Europa começa a metamorfosear-se, e o alaúde vai dando origem a outros instrumentos de cordas, como por exemplo, a vihuela, na Espanha, que mais tarde, vai dar origem à guitarra (violão). O papel do baixo no alaúde torna-se maisimportante, devido a considerações harmônicas e novos estilos musicais. A textura sonora começou a ser explorada e expandida em direção às cordas do baixo. Desta forma instrumentosmaiores e mais poderosos foram construídos.

No século XVII, a prática do alaúde está centrada na Alemanha, na região da Silésia, onde o instrumento recebe ainda mais cordas, chegando a 13 pares. É a este tipo de alaúde que Johann Sebastian Bach dedicou várias peças. No fim do século XVIII, devido à complexidade que o instrumento assumira, que este começa a desaparecer e perder popularidade na Europa. Em uma ou outra região da Áustria ou Alemanha podia-se ainda encontrar um músico da corte de algum príncipe que dominava o instrumento, mas o seu desuso já era evidente.

Hoje em dia, o alaúde permanece sendo utilizado, especialmente em grupos dedicados à execução de música europeia da Renascença, época de seu auge, e onde o maior número de obras foram compostas especialmente para o instrumento.

Bibliografia:
KÓNYA, István. Lute History (em inglês). Disponível em <http://www.lant.hu/lant_t_en.htm>. Acesso em: 08 nov. 2011.

Arquivado em: Música