Beatlemania

Original da década de 60, o termo beatlemania é utilizado para explicar a intensidade com que os fãs idolatravam e ainda idolatram a banda. Exemplos deste fanatismo são as imagens e vídeos das fãs adolescentes que gritavam, choravam até mesmo desmaiavam durante as apresentações da banda. Com o passar do tempo, o termo ganhou um significado mais abrangente, referindo-se as pessoas do mundo todo que continuam o culto à banda. Mesmo após a dissolução do conjunto, clãs fervorosos continuam a gritar os nomes de John, Paul, Ringo e George e a lotar os shows solos dos integrantes que ainda estão vivos.

O marco inicial de toda essa história ocorreu em 13 de outubro de 1963, este dia foi o início da beatlemania. Na data, o grupo participava de um show chamado "Val Parnell's Sunday Night at the London Palladium”, que foi transmitido pelo canal televisivo ATV para as casas de 15 milhões de pessoas. A partir daí, os jornais começaram a exibir fotos de garotas enlouquecidas, molhadas de lágrimas, desmaiadas em suas cadeiras. Os títulos das matérias sempre tinham palavra BEATLOMANIA. “Talvez esta fosse a única forma de batizar um culto tão devastador, situações semelhantes eu só vi em igrejas evangélicas ou seitas satânicas”, diz João Pedro, músico profissional e especialista em História da Música.

Neste dia fatídico, os quatro garotos de Liverpool tocaram apenas duas músicas, She Loves You e Twist and Shout, mas o "yeah yeah yeah" alucinou todos os fãs que estavam na região. A rua que cercava o Palladium foi invadida por fãs gritando e cantando loucamente as canções. Lá dentro, os Beatles quase não conseguiram passar o som e, fora do local, chegavam cada vez mais equipes de outras televisões, pipocando notícias do acontecimento a todo o momento. A euforia foi tanta que, na saída, o público quase destruiu seus deuses. Segundo relatos, os meninos ingleses quase foram esmagados pela multidão presente que tentava agarrá-los.

Pouco depois, o tumulto tomou conta da capa dos principais jornais. A maioria das matérias falava sobre o comportamento dos fãs e das reações histéricas das moças. Não se lia nada sobre o show em si, apenas sobre as atitudes vistas do lado de fora do local do espetáculo. Depois que a palavra beatlemania saiu nos jornais, o cerco de publicações fechou-se sobre a banda e agora não era apenas a música que importava, mas a vida pessoal dos integrantes e sua relação com a legião de adoradores.

Fontes:
http://beatlemania.com.br/
http://www.beatlemania.com.br/historia_beatles.htm
http://en.wikipedia.org/wiki/Beatlemania

Arquivado em: Música