Ilhas Marshall

A República das Ilhas Marshall é um país independente formado por 29 atóis e cinco ilhas organizadas em dois conjuntos paralelos, o "Ratak" (sol nascente) e o "Ralik" (sol poente), localizado no oeste da Oceania. Com capital em Majuro, situada no atol de mesmo nome, o país tem uma área total de 181 km², (um pouco maior que a do município de Santo André, em São Paulo), constituindo uma das menores nações do mundo.

Sua população é de cerca de 70 mil habitantes, sendo que pouco mais de um terço desta vive na capital, devida à absoluta falta de ofertas de trabalho nos outros atóis. Os marshaleses totalizam 90% do total; trata-se de um povo de origem micronésia (um dos três grandes grupos étnicos da Oceania), a qual se acredita ter emigrado do sudeste asiático em um passado remoto. A cultura local tem características matriarcais e gira em torno de um complexo sistema de clãs e linhagens ligados à propriedade da terra. Virtualmente todos seguem a religião cristã de culto protestante. As línguas oficiais são o marshalês (língua malaio-polinésia) e o inglês.

Quase nada se saba sobre a antiga história das Marshall até a chegada do primeiro explorador espanhol, Álvaro de Saavedra Cerón. Outros exploradores se sucedem, e os capitães John Marshall, cujo nome batizou a atual república, e Thomas Gilbert visitam o arquipélago em 1799. A Espanha reclama formalmente a soberania sobre o território em 1874, como parte das Índias Orientais Espanholas, para dez anos depois vendê-lo à Alemanha, que irá incorporar as ilhas à sua colônia da Nova Guiné Alemã. Com o fim da Primeira Guerra Mundial, as Marshall são entregues ao Japão como parte do chamado "Mandato do Pacífico Sul" (que compreende as atuais repúblicas de Palau, Micronésia, Ilhas Marshall e as Marianas setentrionais, território associado dos Estados Unidos). Terminada a Segunda Guerra Mundial, a recém-criada ONU (Organização das Nações Unidas) irá abolir o Mandato e entregar as ilhas que o compunham à administração norte-americana, com o nome de "Protetorado das Ilhas do Pacífico das Nações Unidas", com o objetivo de preparar estes pequenos territórios para a independência.

Depois de quase quatro décadas sob administração dos EUA como a parte mais oriental do Protetorado, as Ilhas Marshall alcançam a independência em 1986. Desde a emancipação o governo reforça os pedidos de indenização como resultado dos testes nucleares conduzidos pelos norte-americanos em alguns dos atóis entre 1947 e 1962.

Bibliografia:
Background Note: Marshall Islands (em inglês). Disponível em: <http://www.state.gov/r/pa/ei/bgn/26551.htm>. Acesso em: 15 jun. 2012.
Mapa: http://www.marshallislandschamber.net/

Arquivado em: Oceania