Alternativas para Promoção do Interesse do Educando pelas Aulas de Química

Licenciatura Plena em Química (Universidade de Cruz Alta, 2004)
Mestrado em Química Inorgânica (Universidade Federal de Santa Maria, 2007)

De acordo com os aspectos já conhecidos a respeito do processo de (des)interesse dos alunos na sala de aula de Química, certamente algumas proposições metodológicas vem sendo planejadas e desenvolvidas tanto no espaço da escola quanto da universidade, por coletivos de professores pertencentes a área de Educação Química, especialmente no Rio Grande do Sul, numa proposta de articulação por projetos interinstitucionais entre universidades, tais como a Universidade Federal do Rio Grande (FURG), Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) e Universidade do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ) . Nesse contexto, podemos mencionar as Situações de Estudo (SE) propostas da UNIJUÍ e as Unidades de aprendizagem (UA) propostas da PUCRS e FURG. Ainda podemos mencionar as situações-problema com enfoque que problematiza as relações entre Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS), sendo planejadas e desenvolvidas no espaço-tempo do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) na FURG e na PUCRS, entre outras

Apostamos que todas essas abordagens metodológicas potencializam (re)pensar, (re)construir e (re)significar o currículo de Ciências da Natureza e suas Tecnologias, uma vez que propõem romper com a linearidade dos conteúdos conceituais, encontrando na linguagem um suporte que se ancora no educar pela pesquisa (GALIAZZI, 2003; MORAES, RAMOS e GALIAZZI, 2004). No momento que apostamos na linguagem, proporcionamos no espaço da sala de aula a escrita, a leitura, a oralidade, a relação dialógica, a argumentação e a tomada de decisão potencializando assim a (re)construção do conhecimento. Muito dos aspectos que foram apontados e elencados a respeito do (des)interesse dos alunos contribuem no sentido de sustentar  nosso argumento de que uma abordagem estritamente conceitual que não dialoga com a realidade dos alunos potencializa a construção de um conhecimento que não produz sentidos nas suas histórias de vida. Por outro lado, a proposição de metodologias que possibilitam uma relação dialógica entre professores de diversas áreas do conhecimento e que prestam atenção na realidade vivenciada pela comunidade escolar produz sentidos e potencializa a transformação da realidade destes alunos.

As metodologias de aprendizagem propostas por coletivos de professores no nosso estado proporcionam uma relação dialógica entre a escola e a universidade, constituindo-se essencialmente interdisciplinar, pois problematizam temáticas de relevância social de acordo com a realidade vivenciada na escola. Dentre essas propostas metodológicas podemos mencionar as Situações de Estudo (Maldaner e Zanon, 2004), as Unidades de Aprendizagem (Galiazzi, Garcia e Lindemann (2004); Moraes e Gomes, 2007) e ainda a proposta de problematização de situações-problema com enfoque Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS) ancoradas em Auler (2007), Pinheiro Jr (2010), Firme (2011).

Referências:

AULER, Décio. Enfoque ciência-tecnologia-sociedade: pressupostos para o contexto brasileiro. Ciência & Ensino, v. 1, n. especial, p. 1-20, 2007.

FIRME, Márcia V. F. Portfólio Coletivo: artefato do aprender a ser professor(a) em Roda de Formação em Rede. 2011. 122 f.  Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande – FURG, Rio Grande, 2011.

GALIAZZI, Maria do Carmo; GARCIA, Fabiane Ávila & LINDEMANN, Renata Hernandez. Construindo Caleidoscópios – organizando unidades de aprendizagem. IN: MORAES, Roque & MANCUSO, Ronaldo. Educação em Ciências – produção de currículos e formação de professores. Ijuí: Editora da UNIJUÍ, 2004. p.65-84.

MORAES, Roque & GOMES, Vanise. Uma Unidade de Aprendizagem sobre Unidades de Aprendizagens. In GALIAZZI, Maria do Carmo; AUTH, Milton Antônio; MORAES, Roque; MANCUSO, Ronaldo (org.) Construção Curricular em Rede na Educação em Ciências – uma proposta de pesquisa na sala de aula. Ijuí: Editora da UNIJUÍ, 2007. p. 243-280.

MALDANER, Otavio A.. Fundamentos e Propostas de Ensino de Química para a Educação Básica no Brasil. Ijuí: Editora Unijuí, 2007.

PINHEIRO JR, Edi M. A Formação de professores no enfoque CTS na aula de Ciências pela narração de unidades de aprendizagem no grupo de pesquisa/formação. 2010. 105 f.  Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande – FURG, Rio Grande, 2010.

Arquivado em: Pedagogia