Educação Holística

A palavra holismo tem origem na expressão grega holos, que significa todo/ totalidade; portanto, em linhas gerais, o holismo preocupa-se com o entendimento de fenômenos a partir da compreensão do todo .

A concepção de educação sob uma perspectiva holística propõe resignificar não só a escola enquanto instituição de ensino como também todos os atores que fazem parte desse conjunto; uma vez que,para o holismo, um fenômeno só pode ser analisado e portanto compreendido a partir da perspectiva global acerca das interações que o definem e caracterizam. Portanto, uma instituição como a escola e os processos educativos que nela se realizam não podem ser compreendidos apenas pela soma dos elementos que a compõe (alunos, professores, pais, funcionários, coordenação, direção etc.), mais sim pela forma como esse corpo se articula e se relaciona. Desta forma, a Educação Holística visa contribuir para a Educação formal lançando bases para privilegiar outros referenciais de educação, mais preocupados com a formação do cidadão, protagonista em questões sociais e ambientais no seu entorno. A Educação Holística pode contribuir enfim, para a ampliação dos espaços de participação na escola.

Do ponto de vista da aprendizagem, o viés holístico da educação preocupa-se prioritariamente com uma perspectiva de ensino não fragmentada, preocupando-se com a valorização de todas as interações que ocorrem no interior das instituições escolares. Portanto, enquanto um currículo preocupado com o todo ao invés das partes, propõe um ensino interdisciplinar, onde o aluno durante o seu processo de aprendizagem adquire a consciência da importância de sua atuação com o coletivo. Adquira também uma visão problematizadora da realidade que o cerca a partir da observação crítica e da relação construtiva com os outros e com o espaço que o cerca.

Ao defender a formação plena do indivíduo em sua relação com o todo que o cerca, a educação holística rompe uma série de paradigmas nos quais se sustenta a educação tradicional, especialmente a divisão do ensino entre disciplinas estanques que não interagem entre si e nem com outros espaços da escola além da sala de aula.

Nessa perspectiva, aos profissionais da educação cabe contemplar a ação pedagógica visando, como foi dito, a formação plena do indivíduo o que significa a construção de uma proposta pedagógica preocupada com o tipo de indivíduo que pretende formar e, portanto, com quais estratégias e conteúdos (e as formas de relaciona-los entre si) serão utilizadas para o desenvolvimento das potencialidades do aluno que permitirão alcançar os objetivos propostos. Esse processo implica uma desconstrução da própria percepção do processo educativo por parte do professor e uma reflexão de como a aprendizagem influencia e está presente em várias esferas da vida do indivíduo e interferem na sua subjetividade e no seu modo de ser e estar no mundo. Assim, a educação precisa ser percebida pelos seus atores como um processo unificado e integrador e, ao promover e mediar a aprendizagem, o trabalho docente dará dinâmica a esse processo de apropriação do conhecimento.

BIBLIOGRAFIA:

JULIANO, Neiva Cabral. As metodologias educacionais na concepção holística de ensino aprendizagem. Educere 2004. Disponível em: http://www.pucpr.br/eventos/educere/educere2004/anaisEvento/Documentos/CI/TC-CI0080.pdf

SILVA, Adriana Carvalho da Silva et. al. Educação Holística e Democracia: o encontro com a integralidade do Ser. Graduação em Pedagogia. UFPE. Disponível em: https://www.ufpe.br/ce/images/Graduacao_pedagogia/pdf/2007.2/educacao.pdf

NASCIMENTO, Gilmar dos Santos e SOUZA, Maria Enísia Soares. Uma visão holística da educação: da fragmentação à totalidade. Interletras, vol. 3, edição 19, abril/setembro, 2014. Disponível em: http://www.unigran.br/interletras/ed_anteriores/n19/conteudo/artigos/19.pdf

Arquivado em: Pedagogia