Método Suzuki

O Método Suzuki foi desenvolvido pelo japonês Shinichi Suzuki (1898 – 1998). Sua inclinação para a formação musical e especialmente para a interpretação musical pode ser justificada pelo ofício do pai, que fabricava violinos de forma artesanal e posteriormente foi responsável pela fundação da primeira empresa de fabricação de instrumentos de corda do Japão.

Os princípios de aprendizagem do seu método de educação musical foram inspirados na observação da maneira natural como toda criança aprende a língua materna. De acordo com Suzuki, desde que haja estímulos constantes e um ambiente favorável à aprendizagem as habilidades necessárias para aprender a tocar instrumentos e a formação musical da criança irão gradativamente se consolidar. Assim, o método baseia-se em premissas como o esforço de imitação, o estímulo e um ambiente de cooperação; essas premissas refletem princípios da própria educação japonesa que pregam o cuidado, a atenção, a paciência, a repetição para se alcançar a perfeição e o respeito por aquele que ensina.

Conciliando a aptidão inata da criança, sua memória auditiva e os princípios de seu método inspirados nas tradições seculares japonesas, são desenvolvidas as habilidade para executar um instrumento. A princípio, os alunos são incentivados a ouvir repetidamente as peças de um repertório, assimilando notas musicais, padrões rítmicos e melódicos através do estímulo do sentido da audição. Nesses primeiros estágios de treinamento a memorização das notas ocorre apenas através da percepção auditiva, sem a leitura de notas musicais; assim, o aluno aprende a reconhecer notas e a tocar canções antes utilizar a notação musical. As primeiras leituras são feitas pela mente, em silêncio, e antecedem a própria execução da musica no instrumento. O desenvolvimento dessas estratégias favorece a aquisição dos princípios básicos da técnica e permitirá ao aluno, posteriormente, maior liberdade para se concentrar na leitura à medida em que as obras musicais tornarem-se complexas e exigirem um maior esforço de preparação do aluno.

Apesar de ter sido utilizado a princípio para o ensino de violino, por enfatizar o desenvolvimento da técnica e da musicalidade o método desenvolvido por Suzuki se estendeu a outros instrumentos de corda, sopro e também piano, alcançando sucesso também nos Estados Unidos e na Europa.

O êxito alcançado pelo método deve-se ao fato de que seu objetivo não se resume ao ensino de música enquanto técnica e sim proporcionar a educação musical da criança, permitindo a apreciação do mundo musical. Propõe como estratégia para conduzir o ensino-aprendizagem tomar como ponto de partida a prática ao invés da teoria musical, priorizando a formação do vínculo com o instrumento.

Assim, trabalhando continuamente com a estima do aluno, valorizando cada progresso do aluno e respeitando o tempo de aprendizagem de cada um, o professor conduz o aluno ao longo do caminho que levará a aquisição da técnica como um recurso facilitador da prática. A abordagem de Suzuki procura demonstrar que a aprendizagem musical não é limitada a indivíduos com talentos excepcionais, e sim que toda criança é capaz de desenvolver seus próprios talentos quando estimuladas para o auto-conhecimento e o desenvolvimento de suas potencialidades.

BIBLIOGRAFIA:

ÁVILA, Marli Batista. Atuais ou Obsoletos? Combinatórios ou Incompatíveis? - Métodos Ativos (III) – Suzuki, Martenot, Ward. Disponível em: http://www2.anhembi.br/html/ead01/pedag_musical/aula6.pdf

BORGES, Gláucia de Andrade. O Método Suzuki e o Folclore Brasileiro no Ensino Básico de Violino. Revista Modus. Volume 4, n. 4, 2007. Disponível em: http://www.uemg.br/openjournal/index.php/modus/article/view/780

Arquivado em: Pedagogia