Métodos críticos sociais do conteúdo

A pedagogia progressista se baseia numa analise critica da realidade social e está dividida em libertadora, libertária e crítico-social dos conteúdos.

A libertadora valoriza a experiência e a realidade em que o educador e o educando vivem, pois são fundamentais para a prática educativa. É através da percepção do mundo que se constroem os conceitos e os significados sobre a realidade que influenciarão as leituras e ressignificações. A visão de Paulo Freire se faz presente nela.

A libertária acredita que a escola seja capaz de transformar a personalidade do aluno. Ela afirma que o individuo é um produto social, sendo seu desenvolvimento realizado no coletivo, sendo a autogestão o conteúdo do método. O aluno possui a liberdade de escolher se vai ou não trabalhar, tendo seu interesse pedagógico baseado nas necessidades individuais ou do grupo.

A critico-social de conteúdos destaca a escola como sendo um mecanismo de preparação do aluno para o mundo adulto. Os métodos desenvolvidos se dão através da experiência do aluno. Eles são divididos em:

  • Métodos ativos: existe a participação integral do aluno, sendo sua ação didática fundamentada nessa atividade continua.
  • Métodos ativos individualizados: atende as necessidades individuais de acordo com a possibilidade e realidade do educando, procurando ajustar o ensino, adaptando-o a capacidade do aluno. Entre os que adotam esse método está Montessori que busca proporcionar a criança atividades capazes de desenvolver o auto-domínio nas crianças. E o Plano Dalton que atende as diferenças individuais respeitando a liberdade de cada um, possibilitando a livre escolha e a autodeterminação do aluno. Não há uma aula formal e nem reprovações, assim como não tem horários específicos. Todavia, apenas os alunos acima de nove anos escolarizados que são atendidos.
  • Métodos ativos socializados: Permite a socialização do educando através de uma ação didática e de interesses e associação de ideias. Inicialmente o aluno deve conhecer os acontecimentos do seu cotidiano para, posteriormente, através dele serem atingidas as metas desejadas. Esse método propõe a ideia de um ensino globalizado, baseado nos interesses dos educandos.
  • Métodos ativos mistos: São simultaneamente socializados e globalizados, já que atende as diferenças individuais, socializando o educando. Engloba assuntos relacionados entre si e ajuda na aquisição de novos conhecimentos, atitudes e habilidades essências para a integração do meio físico e social.

Referências bibliográficas:
FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. São Paulo: Autores Associados: Cortez, 1989.

LIBÂNEO, José  Carlos. Democratização da Escola Pública - A Pedagogia Crítico-Social dos Conteúdos. São Paulo: Edições Loyola, 2002 - 18º ed.

Arquivado em: Pedagogia