O Lúdico como ferramenta pedagógica de ensino da Matemática

A palavra lúdico vem do latim ludus e significa brincar. Citamos como brincar: jogos, brinquedos, divertimentos e é relativa também à conduta daquele que joga que brinca e que se diverte. Sendo assim, a função educativa do jogo oportuniza a aprendizagem do indivíduo, seu saber, seu conhecimento e sua compreensão individual de mundo.

O lúdico é uma necessidade do ser humano em qualquer idade e não pode ser vista apenas como diversão. O desenvolvimento lúdico facilita a aprendizagem, o desenvolvimento pessoal, social e cultural, colabora para que o indivíduo desenvolva uma boa saúde mental, preparando-se para um estado interior abundante, facilitando os processos sociais, comunicativos, expressivos e construtivos no âmbito do conhecimento.

Para o professor inserir o lúdico é prioritária uma formação acadêmica para que a teoria seja desenvolvida através da prática de acordo com os objetivos a serem alcançados.  Esta formação teórica servirá como suporte necessário para que o professor compreenda que suas aulas precisam ser dinamizadas. Trata-se de ir um pouco mais longe ou, melhor dizendo, um pouco mais fundo. Trata-se de formar novas atitudes, daí a necessidade de que os professores estejam envolvidos com o processo de formação de seus educados. Isso não é tão fácil, pois, implica romper com um modelo, com um padrão já instituído, já internalizado.

Na atualidade existem discussões em todo mundo no objetivo de procurar adequar o trabalho escolar a uma nova realidade, marcada pela crescente presença da matemática em diversos campos da atividade humana. Recursos didáticos como jogos, livros, vídeos, calculadoras, computadores e outros materiais tem um papel importante no processo de ensino e aprendizagem. Contudo, eles precisam estar integrados a situações que levem ao exercício da análise e da reflexão, em última instância, a base da atividade matemática. Cabe à escola propiciar ao aluno a capacidade de desenvolvimento intelectual, permitindo que este possa assimilar os conhecimentos acumulados, não se restringindo à transmissão de conteúdos, ensinando-os a pensar e tomar posse do conhecimento elaborado para praticá-lo por constância de vida.

Chamamos de formação lúdica interdisciplinar a formação teórica, a prática e a pessoal.   Este tipo de formação não é importante nos currículos oficiais dos cursos de formação do professor, porém a prática tem nos mostrado seu valor, e não são poucos os educadores que têm afirmado ser a ludicidade a alavanca da educação para o terceiro milênio. O ensino por meio do lúdico permite aprofundamento de conceitos e propriedades matemáticas, ou seja, trata-se de formar novas atitudes da prática docente, daí a necessidade de que os professores estejam envolvidos com o processo de formação de seus educados.   Isso não é tão fácil, pois, implica romper com um modelo, com um padrão já instituído, já internalizado.

Inúmeros atrativos afastam os alunos das atividades escolares.   Hoje em dia é muito fácil o acesso ao computador e aos recursos que ele põe ao seu alcance.   Joguinhos instalados em aparelho cada vez menores, que cabem em seu bolso, estão presentes em sua rotina. O aluno está com dificuldade na interpretação correta dos enunciados dos problemas, verbalizar o que acabara de ler.   Envergonha-se em não dominar as quatro operações, trabalhar com números inteiros, resolver uma expressão numérica. A sociedade sente-se ameaçada com o despreparo dos jovens, que mostram dificuldades na interpretação, e na intervenção de suas opiniões e sem conhecimentos mínimos de matemática.

Cada aluno, assim como professor, deverá promover o aprendizado, utilizando o lúdico como suporte para o desenvolvimento da linguagem matemática e o uso na sociedade, visando acrescentar em cada área do conhecimento humano mais saberes.