Projetos de Pesquisa Interdisciplinares (PPI)

Licenciatura Plena em Química (Universidade de Cruz Alta, 2004)
Mestrado em Química Inorgânica (Universidade Federal de Santa Maria, 2007)

Compreende-se que Projetos de Pesquisa Interdisciplinares (PPI) trazem a vida real para a sala de aula, envolvem mais os alunos nas atividades e, com muitos conteúdos, consistem em uma ótima forma de trabalhar-se. Vale lembrar que projeto é um tipo de planejamento e organização que envolve uma situação problema. Seu objetivo é articular propósitos didáticos e sociais. Além de dar um sentido mais amplo às práticas escolares, o projeto evita a fragmentação dos conteúdos e torna os alunos co-responsáveis pela própria aprendizagem. E, conforme argumenta Bernadete Campello (2006), na vida real, só procuramos respostas para aquilo que nos aflige ou que gera grande curiosidade. O mesmo ocorre na escola: é necessário querer conhecer mais sobre o assunto para se envolver.

A proposta de trabalho envolvendo e elaboração de Projetos de Pesquisa deve culminar em apresentações pelos alunos de Seminários Integradores nas unidades escolares, orientados por seus professores orientadores, os quais virão a refletir resultados dos PPI elaborados pelos alunos sob sua orientação. A programação de eventos dessa natureza oportuniza aos educandos a busca por novos conhecimentos e a estimulação à pesquisa e à reflexão interdisciplinar (Minguet, 1998; Imbernón, 2000).

Como critérios para coleta de dados, trata-se de um estudo de caso, onde, de acordo com Ludke e André (1986), análise textual de professores e alunos devem ser realizadas, sendo que aspectos qualitativos devem sempre se sobrepor aos quantitativos, e para tal devem ser utilizados recursos como questionários, gravações e entrevistas.

Ainda na complementaridade deste PPI pode-se trabalhar, paralelamente à temática principal da Pedagogia de Projetos, em conjunto aos educadores em uma reestruturação curricular fundamentada em Habilidades e Competências, pois compreende-se que há necessidade de consolidação de uma fundamentação que dê suporte à atuação pedagógica do professor em sala de aula, e que nessa mesma perspectiva viabilize a formação de um aluno pesquisador e co-responsável pelo seu aprendizado. Essa nova grade curricular (Hérnadez, 1998), a qual deverá considerar a realidade contextual da unidade de ensino, oportunizará ao professor atuante na sala de aula condições para construir a fundamentação de sua identidade sócio contextual na escola onde atua.

Torna-se relevante ainda mencionar que esta proposta de elaboração de um PPI consiste na proposição de uma linha de pesquisa a partir de um público alvo determinado, o qual possui como proposta a análise histórico-filosófica dos escritos de Heisenberg e Heidegger, sob a perspectiva da fenomenologia hermenêutica, quanto às questões da compreensão e da concepção existencial de ciência; articulação das temáticas: homem, natureza, ciência e técnica; verificação sobre linguagem e comunicação em ciência; relação entre as teorias científico-filosóficas e as teorias cognitivas da aprendizagem em Ausubel.

Referências:
CAMPELLO, Bernadete Santos. Introdução ao controle bibliográfico. 2. ed. Brasília, DF: Briquet de Lemos/Livros, 2006.
MINGUET,P.A. A Construção do Conhecimento na Educação. Porto Alegre: Artes Médicas Ed.,1998.
MBERNÓN,F.A Educação no Século XXI: os desafios do futuro imediato. Porto Alegre: Artes Médicas Ed.,2000.
LÜDKE, Menga e ANDRÉ, Marli E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.
HÉRNANDEZ,F. A Organização do Currículo por Projetos de Trabalho, Porto Alegre: Artes Médicas Ed.,1998.

Arquivado em: Pedagogia