Candiru

O candiru, também conhecido como peixe vampiro ou canero, trata-se de um peixe de água doce, espécie Vandellia cirrhosa, pertencente à família Trichomycteridae.

Este diminuto peixe (que pode alcançar até 18 cm de comprimento), de cor azulada, olhos pequenos e aspecto luminoso, é encontrado na águas do Rio Amazonas, Rio Madeira e seus afluentes tendo, entre os nativos da região, a fama de ser um dos peixes mais temidos daquelas águas.

O candiru é um parasita que penetra nas guelras de outros peixes, alojando-se nesse local, alimentando-se do sangue dos hospedeiros, recebendo, por este motivo, o nome de peixe vampiro.

Esta parasita apresenta uma particularidade: são atraídos pelo odor da urina, podendo então penetrar na uretra, no ânus e na vagina de indivíduos que estão se banhando nas águas dos rios. Após penetrar em algum desses canais, se instalam e ficam impossibilitados de sair da mesma forma que entraram, uma vez que este peixe abre a parte posterior do corpo, com as suas nadadeiras apresentando formato de guarda-chuva.

Segundo especialistas, estes parasitas alimentam-se do sangue o do tecido do hospedeiro, podendo ser removido somente por cirurgia. Todavia, pessoas que vivem nas regiões em que o candiru é encontrado dizem existir outro método para se livrar deste peixe: relaxando até que o próprio animal encontre uma forma natural de sair.

Alguns índios utilizam um preparado de duas plantas para remover o candiru. Esta mistura é inserida na área afetada e possui a capacidade de matar e dissolver o parasita em questão. Contudo, a infecção pode resultar em choque e, consequentemente, morte das vítimas antes que o parasita possa ser removido.

Os turistas são aconselhados a usarem uma espécie de camisinha para mergulharem nas águas habitadas pelo candiru. Além disso, também se deve evitar urinar nos rios.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Candiru
http://canalazultv.ig.com.br/redeambiente/novidade.asp?id_CON=205
http://www.mdig.com.br/index.php?itemid=2711

Arquivado em: Peixes