Família Araliaceae

A família Araliaceae abrange 50 gêneros e, aproximadamente, 1.420 espécies. Os indivíduos representantes podem ser encontrados com maior frequência na Austrália, na América Tropical e Indomalaia-Polinésia. Na região conhecida como neotrópico já foram identificados 7 gêneros e cerca de 500 espécies, em terras brasileiras há cerca de 50 espécies.

Araliaceae
Araliaceae
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Apiales
Família: Araliaceae

Alguns gêneros, como Polyscias, tem espécies que são arbustos com folhas grandes, compostas e coloridas, e que são frequentemente utilizados como cercas-vivas. A espécie trepadeira Hedera helix é a tão conhecida hera. Abaixo a figura de uma espécie muito solicitada para compor o paisagismo urbano e de jardins, a Schefflera actinophylla.

É possível encontrar araliáceas sob a forma de ervas (rizomatosas ou hemiepifíticas), lianas, arbustos e árvores, esses dois últimos são os tipos mais frequentes. Morfologicamente, as folhas podem ser simples ou compostas, inteiras, normalmente palmadas, com estípulas presentes pouco desenvolvidas, com pecíolo curto ou bem longo e dispostas alternadamente.

As inflorescências podem ser umbelas ou capítulos quase sempre, e em alguns poucos casos são racemos ou espigas. Estão localizadas na porção terminal da planta. As flores são pequenas, bi ou unissexuais, podem ter de 4 a 5 pétalas.  As sépalas são unidas ao longo do ovário enquanto que as pétalas podem ser livres ou não, e se não, podem formar uma caliptra. Os estames estão presentes quase sempre em mesma quantidade que as pétalas, são livres e alternos aos lobos da corola. O ovário é ínfero, com estiletes que podem estar bem separados, suavemente unidos, ou sésseis e reduzidos.

A placentação é do tipo axilar contando apenas com 2 óvulos (às vezes apenas um) para cada lóculo. O óvulo de Araliaceae é considerado anátropo, ou seja, quando este sofre um deslocamento/movimento de 180° e se inverte, posicionando a micrópila (abertura) junto ao hilo (região onde se prende o funículo), e o funículo é colado na lateral do óvulo formando uma linha em relevo de soldagem do tegumento seminal com o próprio funículo. Esta linha é conhecida como rafe.

Os frutos das araliáceas são do tipo drupa, circulares ou comprimidos, podendo ter um ou mais caroços.

Bibliografia:
http://www.freewebs.com/rapinibot/embriofitas/parte9.pdf
http://www.meemelink.com/prints%20pages/prints.araliaceae.htm