O correto é "derrepente" ou "de repente"?

Mestre em Linguística (USP, 2019)
Graduada em Letras (USP, 2016)

Ouça este artigo:

Existem palavras que são muito simples de serem faladas, mas cuja escrita pode ser problemática. Principalmente quando elas parecem se juntar com o termo anterior. Esse é o caso da expressão “de repente”. Muitas pessoas acreditam que ela se trata de uma palavra só. Ainda assim, esse é um equívoco, que é cometido por muita gente.

Em primeiro lugar, é fundamental identificar qual é a função de cada termo da expressão: enquanto o “de” é uma preposição, o “repente” é um substantivo. Em conjunto, “de repente” torna-se uma locução adverbial. Ela é utilizada quando busca-se falar de algum evento que aconteceu de forma súbita ou inesperada.

Em vista disso, é importante perceber que as palavras não são unidas, mas sim conectadas. Essa é a razão pela qual o termo “derrepente” está errado.

Por que dar atenção à escrita de “de repente”?

É importante dar atenção à forma como você escreve essa expressão porque ela pode se tornar uma pedra de tropeço em várias situações.

Se você é um vestibulando ou está prestando concurso, escrever “derrepente” em uma redação poderá te custar pontos importantes, fazendo com que você possa perder sua vaga.

Por outro lado, mesmo que você não esteja passando por processos seletivos, esse erro gramatical pode te levar a perder sua credibilidade. Afinal, um e-mail que não esteja bem escrito pode afetar a sua imagem como profissional. Uma mensagem mal redigida também pode afastar um possível relacionamento.

Em vista disso, é importante que você dê atenção a essa questão para que o seu texto esteja sempre bem apurado, te ajudando a alcançar resultados desejáveis!

Aprenda as funções da expressão

Dependendo do contexto, a expressão “de repente” pode funcionar como advérbio de modo ou então como advérbio de tempo.

No primeiro caso, a expressão indica o modo como a ação do verbo foi realizada. Por exemplo, na oração “A menina abraçou o cachorro de repente”, o modo como a ação foi feita foi súbito, isto é, ninguém esperava que a menina abraçasse o animal naquela hora. Assim sendo, “de repente” funciona como advérbio de modo.

Também é possível ver a expressão funcionando dessa forma nas seguintes orações:

  • “De repente, o trem saiu da estação”: nesse caso, a expressão mostra que o modo como o trem partiu da estação foi inesperado.
  • “Joana comeu a banana de repente”: a presença da expressão revela que Joana comeu a fruta de forma súbita.
  • “O ator começou a gritar de repente”: nesse caso, o uso da expressão revela que o ator começou a gritar inesperadamente.

Já no segundo caso, em que “de repente” funciona como um advérbio de tempo, essa expressão funciona como uma indicação a respeito do tempo em que a ação foi desenvolvida.

Também é possível ver “de repente” tendo a mesma função nas seguintes orações:

  • “O zíper da bolsa quebrou de repente”: nesse caso, o advérbio limita o intervalo de tempo em que o acidente aconteceu.
  • “De repente, um raio atingiu o telhado da casa”: como pode-se ver, a expressão está indicando que o raio apareceu de forma muito rápida.
  • “O homem beijou a moça de repente”: a oração deixa claro, por causa do advérbio, que o beijo aconteceu de forma repentina.

Como pode-se perceber com os exemplos acima, as diferenças na forma que a expressão atua (como advérbio de tempo ou de modo) nem sempre são tão claras. Ainda assim, é importante entender por que ela se encaixa nas duas classificações.

Para isso, é recomendável que você estude os tipos de advérbios e também verifique os contextos em que “de repente” aparece. Dessa forma, você terá mais segurança para fazer essa diferenciação.

Arquivado em: Português, Redação