Sinais de pontuação

Especialista em Planejamento, Implementação e Gestão da Educação a Distância (UFF)
Graduação em Letras (Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira, FUNCESI)

Ponto final, ponto de interrogação, ponto de exclamação, ponto de interrogação, dois-pontos, vírgula, parênteses, reticências... Muitos são os sinais de pontuações, não é verdade? No contexto comunicativo, eles exercem diferentes e essenciais funções! Que tal estudarmos os sinais de pontuação? Para começarmos, sugiro a leitura do texto abaixo, escrito por Manuel Bandeira:

Namorados

O rapaz chegou-se para junto da moça e disse:
Antônia, ainda não me acostumei com o seu corpo, com a sua cara.
A moça olhou de lado e esperou.
Você não sabe quando a gente é criança e de repente vê uma lagarta listada?
A moça se lembrava:
A gente fica olhando...
A meninice brincou de novo nos olhos dela.
O rapaz prosseguiu com muita doçura:
Antônia, você parece uma lagarta listada.
A moça arregalou os olhos, fez exclamações.
O rapaz concluiu:
Antônia, você é engraçada! Você parece louca.

Após a leitura do texto, vamos analisar o emprego dos sinais de pontuação que o compõem?

Dois-pontos (:)

Repare que os dois-pontos anunciam as falas do rapaz e de Antônia, personagens da situação comunicativa narrada. Desse modo, eles foram empregados, principalmente, após verbos de elocução (“disse”, “prosseguiu”, “concluiu”):

O rapaz chegou-se para junto da moça e disse:

A moça se lembrava:

O rapaz prosseguiu com muita doçura:

O rapaz concluiu:

Outras funções dos dois-pontos:

  • Anunciar uma citação.
  • Anunciar uma enumeração.
  • Anunciar um esclarecimento ou uma explicação de algo dito anteriormente.

Travessão (–)

O travessão (–) marca o início da fala dos personagens no diálogo:

Antônia, ainda não me acostumei com o seu corpo, com a sua cara. (Fala do rapaz)

A gente fica olhando... (Fala de Antônia)

Outras funções do travessão:

  • Marcar a mudança de interlocutor em um diálogo.
  • Separar expressões ou frases para destacá-las.
  • Isolar expressões ou frases intercaladas com fim explicativo.

Vírgula (,)

Na fala do rapaz abaixo, há duas vírgulas com finalidades distintas. Primeiramente, ela separa um vocativo (termo usado para chamar alguém). Depois, a vírgula indica a enumeração de elementos correlacionados:

Antônia, ainda não me acostumei com o seu corpo, com a sua cara.

Outras funções da vírgula:

  • Indicar a omissão de um termo.
  • Separar orações ou expressões intercaladas.
  • Separar aposto (expressão que explica outra).
  • Sinalizar o deslocamento de elemento ou elementos da frase.
  • Isolar determinadas conjunções pospositivas (“pois”, “porém”...)
  • Isolar expressões usadas para explicar ou corrigir (“ou seja”, “isto é”...).
  • Separar adjuntos adverbiais (expressões que indicam circunstâncias).
  • Separar o nome de lugar da data em documentos ou correspondências.

Ponto final ( . )

O ponto final fecha, já que houve a conclusão da ideia, alguns períodos do texto. Veja:

A moça olhou de lado e esperou.

Outra função do ponto final:

  • Indicar uma abreviatura – (pág.)

Ponto de interrogação (?)

O ponto de interrogação, como o nome indica, é empregado no fim de uma interrogação direta. Esta é uma pergunta direta feita pelo rapaz à Antônia:

Você não sabe quando a gente é criança e de repente vê uma lagarta listada?

Tendo em vista à entonação, o ponto de interrogação não é usado em interrogativas indiretas:

Perguntei quem fez a reforma da casa.

Reticências (...)

Na passagem abaixo, as reticências sinalizam um prolongamento do pensamento, expresso pela personagem Antônia:

A gente fica olhando...

Outras funções das reticências:

  • Indicar uma transcrição incompleta.
  • Assinalar a continuação de um fato.
  • Marcar a suspensão ou interrupção de uma ideia.
  • Indicar a continuidade de elementos correlacionados.
  • Sugerir certa hesitação ou rápida interrupção do pensamento.

Ponto de exclamação (?)

O ponto de exclamação, como o próprio nome sugere, marca uma entonação exclamativa para exprimir diferentes emoções ou sentimentos. Pode ser usado após uma interjeição, uma locução ou frase exclamativa, como esta dita pelo rapaz à Antônia:

Antônia, você é engraçada!

Vejamos agora as funções de outros sinais de pontuação que não apareceram no texto, mas merecem a nossa atenção:

Ponto e vírgula (;)

O ponto e vírgula ( ; ) separa orações coordenadas (de mesma natureza) de extensão maior. Separa também partes maiores de um período, que já apresentam vírgula. Além disso, isola elementos presentes em textos jurídicos.

Parênteses ( () )

Os parênteses ( ) são usados para separar palavras, locuções ou frases explicativas que são intercaladas no texto. Podem indicar também a intercalação de um comentário.

Colchetes ( {} )

Os colchetes desempenham a mesma função dos parênteses. Contudo, são empregados em textos de natureza didática ou científica. Vale acrescentar que eles assinalam a inclusão de palavras em uma transcrição textual.

Aspas (“”)

As aspas “ ” indicam as citações dos discursos eleitos. Também marcam palavras que se intenciona colocar em destaque. Podem sinalizar, assim como o itálico, termos de origem estrangeira e títulos de publicações.

Referências:

BANDEIRA, Manuel. Estrela da vida inteira. Rio de Janeiro: José Olympio, 1973.

CEGALLA, Domingos Paschoal. Sinais de Pontuação. In: ___ Novíssima gramática da língua portuguesa. 48.ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2008. p.428-435.

CUNHA, Celso; CINTRA, Luís F. Lindley. Pontuação. In: ___ Nova gramática do português contemporâneo. 5.ed. Rio de Janeiro: Lexikon, 2008. p.657-683.

Arquivado em: Português