Álcool combustível

Graduação em Química (Faculdades Anhanguera, 2016)

O álcool combustível comercializado nos postos de combustíveis é o etanol ou álcool etílico (CH3CH2OH), é um biocombustível de origem vegetal e fonte renovável de energia. No Brasil, grande parte do etanol produzido nas usinas é feito a partir da cana de açúcar, por meio da fermentação de açucares, hidratação do etileno ou redução a acetaldeído 12. Este último processo utilizado para fabricação de álcool que é utilizado em cervejarias, vinícolas e na fabricação da cachaça ou aguardente.

O etanol pode ser produzido em duas qualidades distintas: anidro ou hidratado. O etanol anidro possui teor alcoólico mínimo de 99,3° (INPM) e é composto apenas de álcool etílico, e é utilizado como combustível para veículos e matéria-prima para indústria de tintas e vernizes; já o etanol hidratado é uma mistura de água e álcool, com teor alcoólico de 92,6° (INPM) e utilizado nas indústrias farmacêuticas, de bebidas, ácido acético, alcoolquímica, combustível para veículos e fabricação de saneantes e produtos de limpeza.

Foto: plantic / Shutterstock.com

Histórico

O Brasil é pioneiro na tecnologia de produção e uso de etanol como combustível, este uso foi impulsionado no Brasil nas décadas de 70 e 80, após a crise do petróleo que ocorreu na década de 70, com a criação do programa “Pró-Álcool”, onde o Governo subsidiou as usinas produtoras de álcool e as indústrias automobilísticas para fabricarem veículos movidos a álcool. Em 1978, houve o lançamento do primeiro carro movido a etanol, lançado pela montadora italiana Fiat, o Fiat 147 ganhou os holofotes. Deste período até 1986, o carro a álcool caiu nas graças do brasileiro e neste ano, quase a totalidade de veículos produzidos no Brasil eram movidos a etanol. Nos anos de 1975 e 1976, foram produzidos cerca de 600 milhões de litros de etanol combustível no Brasil, e em 1986 e 1987, quando a produção teve seu auge, foram produzidos 12,3 bilhões de litros de álcool.

No início da década de 90, com o aumento no preço internacional do açúcar, a produção de etanol combustível entrou em queda, que levou a quase extinção do programa de incentivo do governo. Com a alta do valor do petróleo, o Governo brasileiro autorizou a mistura de 20% de álcool na gasolina, visando amenizar a alta no valor do litro da gasolina.

No início do Século XXI, com o lançamento dos motores “Flex”, houve incentivo para o uso do álcool combustível novamente, diminuindo a dependência do uso de combustíveis fósseis, e gerando empregos nas usinas de produção de álcool. Até os dias atuais, os brasileiros se adaptaram bem ao uso do etanol como combustível alternativo à gasolina, tornando os preços dos combustíveis mais competitivos.

Fabricação

O álcool combustível representa cerca de 80% da produção nacional de álcool e é produzido através de três processos: fermentação de carboidratos, hidratação do etileno ou pelo processo de redução de acetaldeído. No Brasil o processo mais utilizado é a fermentação de carboidratos, onde o álcool hidratado é produto que sai direto da coluna de destilação, já o anidro passa por processo de purificação para retirada do excedente de água. O etanol pode ser obtido de diversos vegetais, desde que sejam ricos em açucares, além da cana-de-açúcar, utiliza-se também mandioca, milho e eucalipto para produzir o combustível.

Características

O etanol é um líquido incolor, inflamável, com odor característico, solúvel em água, com baixo ponto de fusão (-144,1°C) e ponto de ebulição de 78°C.

Referências:

http://www.conab.gov.br/conabweb/download/nupin/etanol.pdf

http://www.ppgea.ufc.br/images/diversos/Alcool_Brasil.pdf

http://redeetec.mec.gov.br/images/stories/pdf/eixo_prd_industr/tec_acucar_alcool/161012_tec_fabric_alc.pdf

http://www.eq.ufrj.br/biose/nukleo/aulas/Microbiol/eqb353_aula_12.pdf

Arquivado em: Combustíveis