Indicadores Químicos Naturais

Licenciatura Plena em Química (Universidade de Cruz Alta, 2004)
Mestrado em Química Inorgânica (Universidade Federal de Santa Maria, 2007)

Ouça este artigo:

Indicadores, sintéticos ou naturais, são ácidos ou bases fracas com equilíbrio químico facilmente deslocável, que apresentam a propriedade de mudar de cor em regiões distintas de pH, possuindo uma coloração A em meio ácido e uma coloração B em meio básico. Estas substâncias são utilizadas para indicar a acidez ou basicidade de soluções aquosas.

Há alguns indicadores encontrados na natureza a disposição de experimentações, como é o caso do tornassol, que é extraído de certos liquens. É conhecido pelos cientistas há bastante tempo e pode ser adquirido em lojas de produtos químicos em duas versões: o papel de tornassol azul e o papel de tornassol vermelho. Estes consistem em pequenas tirinhas de papel contendo tornassol, as quais, em contato direto com ácidos avermelham o papel de tornassol azul, e com bases azulam o papel de tornassol vermelho. Tais cores diferem por serem submetidos durante sua fabricação com ácidos e bases.

Em nosso dia-a-dia, encontramos indicadores naturais em várias espécies de produtos. Por exemplo, no repolho roxo, na beterraba, no pinhão, nas pétalas de rosas vermelhas, nas amoras, no chá-mate, na folha de hibisco..., sendo sua extração bastante simples. Por exemplo, a preparação do indicador pela espécie do repolho roxo é conseguida da seguinte forma: inicia-se pela maceração de uma folha de repolho roxo seguida da diluição em água fervente, após côa-se a solução, passando-a para um erlenmeyer ou copo de béquer. Está pronto um indicador natural, que apresenta coloração vermelho em meio ácido e verde-amarelada em meio básico. Já para preparação do indicador da espécie do pinhão, é necessário apenas água em ebulição juntando com alguns pinhões por vinte minutos. Bastam algumas gotas para obter-se resultado instantâneo.

Um importante indicador natural é obtido a partir das folhas de hibisco. O hibisco, ou ninho de Vênus, é uma espécie botânica arbustiva, originária da Ásia e do Havaí, pertence à família das malvas. As substâncias responsáveis pela coloração destes tecidos vegetais são as antocianinas, pigmentos da classe dos flavanóides, encontrados nas flores vermelhas, azuis e púrpuras. Quando as antocianinas estão livres destes açúcares, são conhecidos como antocianidinas. As antocianinas são anfóteros, ou seja, em diferentes pHs esses pigmentos se encontram em diferentes formas e apresentam cores diversas. Em meio ácido encontram-se na cor vermelha, e, com o aumento do pH da solução, passam a ter uma estrutura quinoidal, de coloração púrpura, mudando em meio alcalino para a coloração azul. Esse indicador mostra-se muito eficiente na identificação de ácidos e bases fortes.

Referências:
PERUZZO, Francisco Miraguaia (Tito); CANTO, Eduardo Leite; Química: na abordagem do cotidiano, Ed. Moderna, São Paulo,SP – 2002.
SARDELLA, Antônio; MATEUS, Edegar; Curso de Química: química geral, Ed. Ática, São Paulo/SP – 1995.

Arquivado em: Química