Neopentecostalismo

O Neopentecostalismo ou Terceira Onda do Pentecostalismo é uma vertente do evangelicalismo, conglomerando igrejas do movimento de Renovação Cristã. Fora do Brasil, essas igrejas são chamadas também de carismáticas, aqui esse termo é reservado a um movimento da Igreja Católica. Essa vertente toma como base ideias do Pentecostalismo e Carismatismo americanos.

O termo neopentecostalismo foi aplicado pela primeira vez na década de 1970, para as igrejas que adotaram muitas das doutrinas e práticas das igrejas pentecostais e do movimento carismático, mas não se tornaram formalmente alinhados com algum deles. Na década de 1980, C. Peter Wagner cunhou o termo Terceira Onda, afim de distinguir o tipo de espiritualidade carismática que ele defendia desde o pentecostalismo. O fenômeno parece ter sido criado a partir de uma necessidade cultural particular dentro dos Estados Unidos. Muitos grupos neopentecostais foram influenciados pela Bênção de Toronto, em meados da década de 1990, sendo ela própria um fenômeno neopentecostal que surgiu a partir do Movimento Vineyard, no Canadá.

Os fiéis neopentecostais acreditam na palavra pós-bíblica dos dons do Espírito Santo, incluindo glossolalia (falar em línguas), cura e realização de profecias. Eles praticam a imposição de mãos buscando a atuação do Espírito Santo. No entanto, uma experiência específica do batismo com o Espírito Santo não pode ser requisito para experimentar tais dons. As igrejas também pregam ensinamentos que também são comuns em igrejas neopentecostais, como a batalha espiritual (o confronto espiritual diretamente contra os demônios e outras forças malignas), a realização de maldições hereditárias, possessão maligna de corpos (o domínio demoníaco contra as pessoas, o que acaba resultando em problemas de saúde ou a incapacidade de evoluir na vida profissional e sentimental). É inclusive o foco que as igrejas neopentecostais empregam a esses ensinos e dons que as levam a ser fortemente criticadas pelos demais movimentos protestantes. Segundo os críticos, o sucesso do movimento teria seu fundamento na pulverização teológica promovida por Mary Baker Eddy e, depois, por Essek William Kenyon ao misturar o gnosticismo das religiões metafísicas com o cristianismo pentecostal.

Existem aproximadamente 19.000 denominações ou grupos neopentecostais, com aproximadamente 295 milhões de seguidores, Os princípios e práticas neopentecostais são encontrados em muitas congregações independentes, sem denominação. No Brasil, as igrejas com maior representação no movimento neopentecostal são a Igreja Universal do Reino de Deus, a Igreja Internacional da Graça de Deus, a Igreja Renascer em Cristo, a Igreja Batista Nacional, a Igreja Fonte da Vida de Adoração, a Igreja Mundial do Poder de Deus, a Comunidade Evangélica Sara Nossa Terra, o Ministério Nova Jerusalém, a Igreja Nacional do Senhor Jesus Cristo e o Ministério Internacional da Restauração. Fazem parte ou se aproximam do Protestantismo Apostólico, que aceitam apóstolos, bispos e pastores ou missionários presidentes que norteiam o rumo de suas igrejas no País e pelo mundo. Essas igrejas realizam a prática do evangelismo midiático massivo, a maior parte delas utilizam, ou até mesmo possuem, canais de TV, rádios, jornais, editoras ou literaturas próprias e portais ou sites, participando, inclusive, de atividades comerciais como a venda de TVs por assinatura ou produtos da ideologia religiosa que suportam a corrente neopentecostal.

Fontes
http://www.religionfacts.com/christianity/denominations/pentecostalism/neo_pentecostalism.htm
http://en.wikipedia.org/wiki/Neopentecostalism
http://en.wikipedia.org/wiki/Charismatic_Movement

Arquivado em: Cristianismo