Lapa

Charmoso reduto cultural carioca, este tradicional bairro localizado no Rio de Janeiro, no término da zona sul, exatamente no ponto em que a rua da Glória se transforma em rua da Lapa, é considerado o núcleo boêmio da cidade. Sua arquitetura, edificada em estilo romano na época do Brasil Colonial, também é significativo ponto de referência desta área.

Não há quem nunca tenha ouvido falar nos célebres Arcos da Lapa, criados inicialmente como aquedutos, e atualmente via de acesso ao morro de Santa Teresa, por onde trafegam os bondinhos cariocas. Embora muito do antigo cenário tenha sido transformado, com a praça conhecida como Largo dos Pracinhas substituída pelo Circo Voador; e a Fundição Progresso, localizada na Rua dos Arcos, convertida em casa de espetáculos, o bairro ainda apresenta o mesmo clima arquitetônico antigo.

Atualmente os habitantes do bairro criaram um movimento de resgate do complexo residencial da região, criando para isso o Movimento Eu Sou da Lapa, totalmente baseado na operação I Love New York, que nos anos 70 contribuiu para dar nova vida à metrópole norte-americana. Esta campanha inclui um trabalho com moradores de rua, luta contra a violência e medidas de segurança, embora ainda sem muito êxito.

O superpovoamento do Rio de Janeiro já aponta para uma elevação na busca de habitações na Lapa, pois um número cada vez maior de pessoas deseja morar perto do centro, onde trabalham. Sem contar o desejo de estar no mesmo lugar em que a vida cultural entra em constante ebulição.

É na Lapa que se testemunha as mais diversas expressões musicais, do samba às canções nordestinas; da música eletrônica às demais tribos; todos os gêneros coexistem em paz nesta região. Aí são compostos os mais belos sambas, e as pessoas se reúnem para ouvi-los em bares disseminados pelas ruas Mem de Sá, Riachuelo e Lavradio.

Já nos anos 50 o bairro era famoso por sua vida cultural noturna, com célebres cabarés e restaurantes aqui e ali. Desfilavam por eles os melhores artistas, intelectuais, políticos e representantes diplomáticos. Ainda hoje é possível ver, lado a lado, estabelecimentos voltados para a exibição de música de câmera, como a Sala Cecília Meirelles; e bares como o Asa Branca, frequentado por seres brejeiros, à procura de um bom forró ou da boa música popular.

O samba brota em casas como Semente e Ernesto, na forma mais típica do Rio de Janeiro, o chorinho. Para quem deseja ouvir as rodas de samba, basta ir ao Emporium 100 e ao Rio Scenarium, que se transformam em bares à noite, pois de dia são apenas tradicionais antiquários.

O bairro vem sendo progressivamente resgatado pelos órgãos municipais; sua arquitetura antiga está praticamente intocada. Um trajeto por suas ruas é uma verdadeira aula de história, com o Passeio Público, a Escola Nacional de Música e a Igreja de Nossa Senhora da Lapa, além dos já citados Arcos da Lapa.

A Lapa ainda oferece uma rica variedade gastronômica, com amplas opções de restaurantes, entre eles Nova Capela, Manoel e Joaquim e Bar Brasil. Enfim, neste bairro o carioca encontra sua real identidade e os visitantes podem realizar um mergulho cultural e uma viagem no tempo.

Fontes:
http://www.rio.rj.gov.br/riotur/pt/atracao/?CodAtr=1406
http://pt.wikipedia.org/wiki/Lapa_(bairro_do_Rio_de_Janeiro)

Arquivado em: Rio de Janeiro