Lápis-Lazúli

De origem latina, o significado de lápis é pedra e de lazúli, azul. Assim o lápis-lazúli pode ser, a primeira vista, apenas uma pedra azul, mas ele é uma gema que, depois de lapidada e polida, torna-se uma pedra preciosa, de um azul magnífico e brilho vítreo (parecendo vidro). Assim como outras gemas, ela apresenta-se mais opaca que brilhante. É resultado da combinação de diversos minerais, entre eles a lazurita, o sódio, o alumínio e a pirita, sendo conhecida mais como rocha.

O uso do lápis-lazúli, segundo arqueólogos, remonta há 7000 anos. Nas tumbas egípcias, foram encontradas sendo usadas não apenas como jóia, mas em outros objetos decorativos como caixas, escaravelhos e esculturas. Os egípcios, na antiguidade, fabricavam amuletos usando pedras. Achados sugerem o uso do lápis-lazúli também em maquiagem, como sombras para os olhos. Na Idade Média e na Renascença, seu uso cresceu quando artistas o usavam para criar pinturas azuis brilhantes.

Atualmente, a maior produção do lápis-lazúli vem do Afeganistão e seus mineiros tentam encontrar pedras com azul profundo, vindo de depósitos de pirita, também conhecida, como "ouro dos tolos". As melhores podem ser usadas em adornos para porta-jóias ou como peças de joalheria. Preferido entre os joalheiros profissionais, o lápis-lazúli é avaliado em sua forma de conta. As próprias pedras servem para esculpir, mas deixam um odor meio desagradável, fazendo com que aqueles que trabalham com ele, usem roupas e máscaras protetoras, para evitar o depósito de sílica nos pulmões.

As contas feitas com o lápis-lazúli estão disponíveis em grande variedade, tendo um preço razoável, porém, uma gema de melhor qualidade, contribui para um preço mais alto. São encontrados na forma de fusos, cilindros, tubos facetados, lágrimas e contas redondas, sendo estas usadas em rosários há séculos.

Cordões de lápis-lazúli, com formato de fusos podem custar menos de 1 dólar cada conta, já as contas compridas, como tubos facetados, chegam a 3 dólares cada. Pedras soltas também são baratas, sendo que a tendência dos comerciantes é medi-las em gramas, não em quilates. Vale lembrar que 1 quilate equivale à 200 miligramas. Pedras de grande qualidade podem chegar a várias dezenas de dólares o grama.

Usado também em anéis, o lápis-lazúli precisa de cuidados especiais. Na Escala de Mohs (escala que mede a dureza dos minerais), apresenta dureza 5-6, apenas – equivalente ao vidro. Visando garantir uma melhor qualidade, as lojas que o comercializam questionam os fornecedores sobre a procedência, uma vez o lápis-lazúli pode ser colorido artificialmente, imitando, assim, pedras qualidade superior.

Na Antiguidade, o lápis-lazúli era visto como o símbolo da verdade, sendo que em algumas crenças, era considerado como um portal para o mundo espiritual. No Catolicismo Romano, em muitas das pinturas da Virgem Maria, tanto na Idade Média quanto no Renascimento, aparece o lápis-lazúli, estando assim, sempre associado ao misticismo e à pureza.

Fonte:
http://lqes.iqm.unicamp.br/canal_cientifico/lqes_responde/lqes_responde_lapis_lazuli.html
Foto: http://www.gemselect.com/gem-info/lapis-lazuli/lapis-lazuli-info.php

Arquivado em: Rochas e Minerais