Doação de sangue

Mestre em Ecologia e Recursos Naturais (UFSCAR, 2019)
Bacharel em Ciências Biológicas (UNIFESP, 2015)

Publicado em 15/04/2019

O sangue é um fluído corporal presente nos seres humanos e nos animais, sendo responsável pelo carreamento de nutrientes e gases (como o oxigênio) para todas as células e tecidos do corpo. Além disso, o sangue leva os resíduos do metabolismo para o sistema excretor, sendo essencial para a manutenção da vida.

Quando uma pessoa se submete a procedimentos cirúrgicos agendados ou de emergência ela necessita de uma transfusão de sangue externo para repor aquele que ela perde durante a intervenção médica. Em outros casos, existem pacientes que precisam receber sangue esporadicamente para se manter saudáveis (como em casos graves de anemia ou Doença Falciforme). O sangue utilizado é proveniente de um Banco de Sangue (ou Hemocentro), onde fica armazenado o sangue que é obtido através da doação de sangue.

Doação de sangue. Foto: Vasin Lee / Shutterstock.com

No Brasil, a doação de sangue é voluntária e não remunerada. Segundo o Ministério da Saúde, pode doar sangue qualquer pessoa entre 16 e 69 anos de idade (menores de 18 anos precisam de permissão dos responsáveis), que pese no mínimo 50 kg, esteja alimentada, tenha aguardado duas horas desde a última grande refeição e tenha evitado alimentos gordurosos, tenha dormido no mínimo 6 horas antes de doar, possua documento de identificação com foto e que não tenha doado sangue em um intervalo mínimo de dois meses (para homens) ou três meses (para mulheres).

Fica impedido de doar quem estiver doente, tenha feito extração de dentes, esteja em período de gestação, amamentação ou pós-gravidez (por até 12 meses), tenha ingerido álcool pelo menos 12 horas antes de doar, tenha feito tatuagem ou colocado piercing no último ano, tenha recebido transfusão de sangue no último ano, tenha se exposto a situação de risco de contágio de DST (doença sexualmente transmissível) ou tenha realizado algum procedimento cirúrgico nos últimos 6 meses. Pessoas com piercing no interior da cavidade oral ou na área genital, pessoas que já tiveram hepatite, malária, que já usaram drogas ilícitas ou que apresentam evidências de serem portadores de doenças transmitidas pelo sangue (como o vírus HIV ou a Doença de Chagas) ficam impedidas de doar.

Um adulto possui, em média, 5 litros de sangue. Em uma doação de sangue são retirados no máximo 450 mL. Após a doação existem uma série de recomendações para evitar que o doador passe mal. Primeiramente, deve-se evitar esforços físicos, incluindo dirigir, por pelo menos 12 horas. Além disso, o doador deve se alimentar com refeições leves e se hidratar bem ao longo de todo o dia em que efetuar a doação. Outras recomendações incluem evitar a ingestão de bebida alcoólica por 12 horas e não fumar no mínimo por 2 horas.

A doação de sangue é um ato altruísta e voluntário que salva vidas. Apesar de existirem sempre campanhas para aumentar a conscientização da importância da doação sanguínea, os Hemocentros estão sempre dispostos a receber doadores. Saiba qual o local de coleta mais próximo da sua casa no site: http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/doacao-de-sangue#onde-doar .

Referências:

Portal da Saúde de A a Z, Ministério da Saúde, Governo Federal Brasileiro (acesso em 03 de abril de 2019).

Organização Mundial da Saúde (OMS). Bulletin of the World Health Organization (2013).

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Sangue, Saúde, Sociedade