Ordem Hermética da Aurora Dourada

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

A Ordem Hermética da Aurora Dourada foi uma sociedade mágica que reunia várias vertentes do ocultismo.

O ocultismo sempre foi integrante da cultura humana, celebrando e cultuando entidades ou práticas alternativas às grandes crenças ou tendências religiosas. O Ocidente conheceu muitas dessas vertentes, que, por vezes, seguiam caminhos divergentes, com referências e métodos diversos. No decorrer do século XIX, parecia que o ocultismo ocidental havia se perdido em sentido e a influência do ocultismo oriental crescia. Aparentemente, houve um movimento de resposta a esta condição. Os sistemas ocultistas existentes antes foram integrados gerando um momento áureo para o ocultismo ocidental, alcançando um sucesso decorrente da magia e da ênfase ao erudito, que proporcionou avanços significativos de aplicabilidade e inclusão.

A Ordem Hermética da Aurora Dourada marcou a glória do renascimento ocultista no século XIX. Foi criada na década de 1880 na Inglaterra e sintetizava um vasto conhecimento produzido de maneira desconexa em um único modelo prático e eficiente. O movimento que recebeu tal nome foi fundamental para a reativação do ocultismo no Ocidente, criando novas tradições e influências com repercussões históricas. A Ordem Hermética da Aurora Dourada reivindicava o título de verdadeira herdeira de Christian Rosenkreuz, o pai do rosacrucianismo. Seu primeiro templo foi criado em 1888 e fundado em 1893.

A Ordem Hermética da Aurora Dourada celebrou rituais que foram cuidadosamente elaborados para funcionar em harmonia com diversas vertentes ocultistas. O sucesso da adaptação foi tamanho que essas práticas sobreviveram bem mais que a própria Ordem e influenciaram diversas outras escolas de mistérios que ainda são ativas.

Além do Templo de Ísis-Urânia, fundado na Inglaterra em 1893, a Ordem Hermética da Aurora Dourada instalou também outros sete templos distribuídos entre o país de origem, França e os Estados Unidos. Promoveu o recrutamento de novos membros através do apadrinhamento e um processo de estudo bastante exigente. Em geral, seus integrantes eram membros da classe média, muitos com origens aristocráticas. Celebravam grande aparato simbólico que teve seu apogeu na última década do século XIX. O sucesso da época foi muito em função das influências de William Westcott (médico legista), Samuel Mathers (apaixonado pelo ocultismo e autor dos rituais da Ordem) e William Woodman (médico), que foram os membros mais notórios e destacados. Entretanto, o motivo da decadência da Ordem Hermética da Aurora Dourada esteve ligado ao mesmo motivo que levou ao apogeu, seus líderes. Mathers era muito talentoso, porém muito autoritário também. Quando assumiu a efetiva liderança, houve muitos confrontos de personalidade e de interesses, pois Mathers desejava que todos os templos ingleses fossem completamente submissos ao seu poder. Para piorar a situação, a Ordem recebeu várias denúncias sobre seu objetivo e passou a contar com membros que eram considerados de reputação duvidosa na Inglaterra, como Aleister Crowley.

A Ordem Hermética da Aurora Dourada se fragmentou e seus membros fundaram várias outras sociedades ocultistas. O novo líder da Ordem, A. E. Waite, a tornou menos mágica e mais mística no início de 1903, uma mudança que foi crucial para o seu fim. Todavia, existem muitas organizações ocultistas que alegam ser a continuidade da Ordem, mas nenhuma delas alcançou o mesmo sucesso da original inglesa no final do século XIX.

Fontes:
http://www.youtube.com/watch?v=C0o4gkBIJuM
http://veredasdahistoria.kea.kinghost.net/edicao4/Dos.02_magia_religiao_outro_revisado.pdf
http://www.humanas.ufpr.br/site/evento/SociologiaPolitica/GTs-ONLINE/GT8%20online/EixoI/faze-oq-queres%20Ivan_Alexander_Mizanzuk.pdf
Gilbert, R. A. Revelações da Aurora Dourada: o Esplendor de uma Ordem Mágica. Ed. Madras, 1999.

Arquivado em: Sociedades Secretas