Fintech

Ouça este artigo:

O termo fintech tem origem na junção das palavras tecnologia (no inglês, technology) e financeiro (financial). Assim, as fintechs podem ser resumidas como as formas de inovação tecnológicas aplicadas aos sistemas financeiros. Em outras palavras, fintechs são companhias de tecnologia (startups) que oferecem serviços financeiros por meio de aplicações de alta tecnologia voltadas ao segmento financeiro.

Mas que tipo de tecnologia faz uma empresa ser fintech? As fintechs fazem uso de soluções de última geração como a IA (Inteligência Artificial), a Big Data, a tecnologia de algoritmo e a computação em nuvem. Com isso, efetuam a substituição dos ambientes de trabalho por não-locais providos de total digitalização dos serviços prestados, podendo ser utilizados centralizados em um único dispositivo como o smartphone ou similares, com acesso à internet.

Por exemplo, através de um atendimento operado por um bot – dispositivo tecnológico com capacidade de realizar tarefas com programação prévia; - ou seja, os robôs de atendimento, uma pessoa pode abrir uma conta em uma fintech e ser provida de todas as funções de pagamento e recebimento de um banco tradicional.

Prós e contras

Na opinião de especialistas do setor econômico, gradualmente as fintechs irão substituir os bancos físicos em sua totalidade, causando o fim das agências bancárias, dos terminais de autoatendimento e, dentro de uma perspectiva mais drástica, do dinheiro em papel em detrimento das moedas digitais. Isso causaria o aumento do desemprego e da precarização do trabalho, visto que funcionários antes empregados em instituições bancárias – com direitos trabalhistas e estrutura laboral – se tornariam em sua maioria funcionários terceirizados a prestar serviços para as fintechs ou outros aplicativos.

Fora isso, o domínio total do dinheiro digital por essas empresas poderia estar relacionado ao controle social-monetário relacionado aos indivíduos em uma espécie de relação de poder. Já que as pessoas dependerão totalmente destas companhias devido ao fim do dinheiro físico, seria possível utilizar a paralização de serviços financeiros como maneira punitiva para impedir ou inibir comportamentos considerados inadequados para os centros de poder hegemônicos. Um exemplo disso ocorreu em 2022, quando caminhoneiros grevistas do Canadá fizeram uma paralização de vias, em protestos contra o aumento de impostos. Eles tiveram suas contas bloqueadas por fintechs, de forma a fazê-los voltarem às suas atividades normais.

Porém, existe uma visão mais otimista em relação às fintechs. Com a tecnologia avançada, este segmento teria por resultado o aumento da praticidade e acessibilidade para os usuários, visto que todos os serviços centralizam-se em um único meio de utilização: o smartphone. Outra vantagem seria a diminuição da burocracia e das taxas de aplicação de juros, resultantes de um custo operacional menor em relação aos bancos tradicionais. Além disso, há maior adaptação destas companhias em relação aos clientes, que apresentam comportamentos e necessidades diferenciadas. Através do uso da tecnologia, essa relação pode ser captada e readaptada no sentido de melhorar a troca entre banco e usuários.

Tipos de fintechs

Fintechs de seguros

Este tipo de empresa digital é conhecida também pelo nome de insurtech, que vem da mistura entre os termos tecnologia (technology) e seguro (insurance). Atuam no sentido de, através da alta tecnologia, conseguir eficiência máxima dentro do modelo de negócios das seguradoras. Fazem a customização do serviço, analisam padrões de comportamento por meio de milhões de dados que captam dos usurários e, assim, oferecem serviços personalizados.

Fintechs de criptomoeda e blockchain

Facilitam as transações comerciais e de armazenagem de criptomoedas. Com isso, têm aumentado o número de usuários e o interesse nesse segmento. Já são mais de 100 milhões de pessoas que usam criptomoedas no mundo, com ênfase no bitcoin e etherium. Críticas a este modelo indicam que a falta de legislação referente ao segmento pode vir a facilitar a lavagem de dinheiro.

Fintechs de pagamentos

São as mais numerosas e tornam mais simples os processos de venda e de compra. Em algumas destas fintechs, são oferecidas máquinas de cartão sem taxas, além de opções diferenciadas de cartões de crédito e débito.

Arquivado em: Tecnologia