Sericicultura

A sericicultura é a arte de criação do bicho-da-seda e está intimamente relacionada com a cultura da amoreira e criação do bicho-da-seda (casulo) que dará origem ao fio de seda.

A sericicultura é a atividade agroindustrial mais antiga do mundo, surgindo há mais de 5.000 anos (China), sendo inicialmente a seda uma forma de se homenagear os imperadores.

No Brasil a sericicultura teve grandes avanços a partir de 1935, quando o governo criou a “3º seção de sericicultura” que fomentava a criação de bicho-da-seda através do fornecimento de ovos do bicho-da-seda e assistência técnica aos produtores.

A sericicultura mundial hoje é composta por mais de 50 países, tendo uma produção estimada em mais de 140.000 t e a China apontada como a maior produtora (responde por cerca de 70% de toda a produção mundial).
O Brasil aparece como o 4º maior produtor mundial de seda (responde por 2,7% da produção mundial), sendo que 95% dessa produção é destinada a exportação (Japão importa 75% dessa produção).

O Paraná é o principal produtor nacional (80% de toda a produção), sendo seguido por São Paulo (13% da produção). O regime principal de produção do bicho-da-seda é o de integração, no qual há uma parceria entra empresas e produtores. Cabe a empresa distribuir mudas de amoreira, produzir e distribuir lagartas, fornecer assistência técnica e comprar a produção de casulos. Aos produtores cabe comprar as lagartas das empresas integradas, ficar responsável por todo o processo de produção do bicho-da-seda e vender sua produção de casulos.

A importância da sericicultura é devido a ser uma maneira de diversificar a produção rural, ser uma cultura de pequeno risco, usar uma pequena área, pequeno capital (baixo investimento em instalações e na cultura da amoreira que servirá de alimento para as lagartas), pode ser utilizada a mão-de-obra familiar (menor custo) e sua produção é principalmente destinada a exportação.

Além das vantagens apresentadas, a sericicultura tem como vantagem que a alimentação do bicho-da-seda é produzida na própria propriedade (menor custo). A amoreira é uma planta rústica, adaptadas aos mais diferentes climas, podendo ser produzida em todo país, sua produção exige pouco esforço físico, sendo ainda uma maneira de ocupar a mão-de-obra ociosa no campo.

Arquivado em: Zootecnia