Hipotálamo

Por Fabiana Santos Gonçalves
O hipotálamo é uma estrutura que se localiza abaixo do tálamo, na região do diencéfalo, juntamente com o epitálamo e o tálamo. Os corpos mamilares, túber cinéreo, infundíbulo e quiasma óptico são estruturas do hipotálamo.

O hipotálamo possui vias de ligação com todos os níveis do sistema límbico. Liga-se ao Sistema Nervoso e ao Sistema Endócrino, controlando a maioria das funções vegetativas, endócrinas, comportamentais e emocionais do corpo.

Representa cerca de 1% da massa total do encéfalo, ou seja, é um órgão muito pequeno, mas de importância indiscutível. Está relacionado com a regulação da temperatura corpórea, apetite, atividade gastrintestinal, regulação hídrica, atividade sexual e emoções. É composto por substância cinzenta, possuindo vários núcleos e os neurônios possuem receptores moleculares para os sinais químicos que estão circulando.

O hipotálamo está intimamente relacionado com a hipófise no comando das atividades. Ele controla a secreção hipofisária, produz ocitocina e hormônio antidiurético, que são armazenados pela hipófise.

Controle vegetativo e endócrino

Regulação cardiovascular: alteração da pressão arterial e freqüência cardíaca;

Regulação da temperatura: a temperatura do sangue que passa pelo hipotálamo regula a atividade dos neurônios, aumentando assim a atividade e temperatura, regulando-a.

Regulação hídrica: controla a água corporal através da sensação de sede e perda de água pela urina.

Contração uterina e ejeção de leite: o hipotálamo produz ocitocina, que controla essas duas atividades.

Controle hipotalâmico: o hipotálamo estimula a hipófise secretar hormônios.

Função comportamental

As áreas do hipotálamo como hipotálamo lateral, ventromedial e periventricular estão relacionados com a sensação de sede, fome, agressividade, tanto produção dessas sensações quanto sensação de saciedade. A área periventricular está relacionada com sensação de medo e punição. A atividade sexual é estimulada principalmente pelas regiões anteriores e posteriores.

Recompensa e punição

De acordo com as atitudes do indivíduo, ele pode ser recompensado ou punido, o que gera uma memória, logo ele tende a realizar atividades que lhes proporcione uma recompensa. Quando se diminui a atividade dos centros de recompensa e de punição, diminui-se também a atividade afetiva do indivíduo.

A intensiva estimulação do centro de punição faz com que o animal tenha postura defensiva, mostrando as garras e tenha alguma atividade agressiva. Quando o centro de recompensa é estimulado, o animal adota uma postura amável, doce e plácida.

Fontes
Spencer, Alexander P. Anatomia Humana básica. – São Paulo - SP: Manole, 1991.
Gray´s Anatomy. - Rio de Janeiro - RJ: Guanabara Koogan S.A., 1979
Guyton, Artur C. Tratado de Fisiologia Médica – Rio de Janeiro – RJ: Guanabara Koogan S.A.