Universo

Por Fernando Sirugi
Podemos definir o Universo, como o conjunto de toda matéria e energia existente no espaço. Por mais conhecimento que o homem tenha, ainda é muito difícil afirmar precisamente como e quando se deu o surgimento do Universo. O que se consegue produzir são apenas teorias, algumas com hipóteses muito bem fundamentadas.

O avanço científico e tecnológico, especialmente neste ultimo século, permitiu atingir um conhecimento mais racional do que é o Universo. Com base nos conhecimentos até agora estudados, podemos afirmar que ele é composto de matéria e energia, com essa afirmação pode-se dizer também que o Universo é constituído quase somente de átomos, predominando a ocorrência de dois elementos: o hidrogênio, com uma participação em torno de 60%; e o hélio, que contribui com quase 36%, ficando a ocorrência de todos os outros elementos em cerca de 4%.

Toda essa matéria, em decorrência da ação gravitacional, está sempre em intensa movimentação, formando diversas aglomerações com acumulações diferenciadas de massa. Dependendo da quantidade de massa acumulada, podem surgir os mais diferentes corpos celestes, como uma estrela ( que concentra muita massa) ou como planetas e meteoritos ( que apresenta uma pequena quantidade de massa acumulada).

As estrelas tendem a formar grandes aglomerados, as chamadas galáxias, onde se aglutinam em quantidades da ordem dos bilhões. Existem, ainda, aglomerados de galáxias e os superaglomerados de galáxias, considerados as maiores estruturas do Universo. Dos bilhões de galáxias que se pode observar hoje, uma é a mais interessante de todas já presenciadas: a Via Láctea. Ela é o conjunto formado pela associação de alguns bilhões de estrelas, planetas, corpos celestes diversificados, gases dos mais diferentes tipos e poeiras produzidas pelos contínuos choques materiais em constante movimentação no seu interior.

Embora seja uma preocupação constante do ser humano, a origem do Universo, só começou a ser estudada profundamente e receber uma atenção maior da ciência, há cerca de 7 ou 8 décadas. Nesse período, o progresso desses estudos na Física tornou-se bastante desenvolvido, principalmente nos campos que interessam mais à Astronomia, como a mecânica quântica e a teoria da relatividade, antes disso quem mais se preocupavam com esses estudos eram os filósofos, teólogos, astrônomos e matemáticos.

Os gregos introduziram métodos racionais nos estudos de Astronomia, principalmente pela criação de sucessivos modelos teóricos que visavam a representar o que era o Universo. Um dos seus maiores representantes foi Cláudio Ptolomeu, responsável pela criação do modelo geocêntrico, com o surgimento do renascimento, surgiu uma nova explicação para o funcionamento do Universo, o modelo heliocêntrico, desenvolvido pelo monge polonês Nicolau Copérnico.

Leia também: