Albert Einstein

Por Thais Pacievitch
Albert Einstein nasceu na Alemanha, na pequena cidade de Ulm, no dia 14 de março, em 1.879. Seus pais Hermann Einstein e Pauline Koch eram judeus. O caráter e a biblioteca do pai foram importantes na formação de Albert Einstein. Nos primeiros anos de vida, Einstein teve dificuldades para se expressar através da fala e era lento para aprender, fato que, durante algum tempo, deixou seus pais preocupados. Nos primeiros anos escolares, Einstein não se destacava nem pelas notas nem pela regularidade com que ia à escola.

Aos nove anos ingressa numa instituição de ensino chamada Luitpold Gymnasium, local onde se interessa por geometria e álgebra, matérias nas quais progride rapidamente. Aos doze anos é um autêntico gênio das matemáticas e lê avidamente Leibniz, Kant e Hume. Foi um problema para seu professores, visto que estes não sabiam responder suas perguntas nem refutar seus questionamentos. Possuía caráter individualista e alheio à disciplina prussiana, acaba sendo expulso do Gymnasium. Aos 16 anos abandona a religião judaica e, assim, liberta-se de todo e qualquer tipo de dogma e imposição ideológica.

Em 1.900, aos 21 anos, consegue graduar-se no Instituto Politécnico de Zurich, com as mais altas notas. Em 1.905, publica “Annalen der Physik”, trabalhos sobre eletrodinâmica, as dimensões moleculares, equivalência entre a massa inerte e a energia, o fenômeno fotoelétrico e os primeiros esboços sobre a Teoria da Relatividade, que anunciava o fato do movimento ser relativo aos corpos no espaço, visto que este carece de dimensões e limites e é igualmente relativo. Posteriormente Einstein aplica a teoria da relatividade ao tempo.

Em seguida investiga o processo massa-energia, reduzindo ambas a uma só, mediante a sua conhecida fórmula E=mc². Seus estudos e questionamentos supõem o princípio da teoria atômica e da energia nuclear.

Em 1.909, começa a trabalhar como professor da Universidade de Zurich, atividade que logo desenvolveu em Praga e Berlin. Em 1.914, é nomeado professor da Academia Prussiana de Ciências e diretor do Kaiser Wihelm Institut. Separa-se da sua primeira mulher, Mileva Maric, e casa-se com Elsa Einstein. Em 1.915, completa o desenvolvimento da sua teoria da relatividade. Em 1.921, recebe o Prêmio Nobel de Física e, em 1.933, vê-se obrigado a deixar a Alemanha e partir para os EUA, perseguido pelo regime nazista como judeu e intelectual. Vive ali, em meio a leituras e estudos, ocupando o tempo ocioso com seu violino e colaborando com revistas científicas.

Leia também: