Napoleão Bonaparte

Napoleão Bonaparte (15 de agosto de 1769, Ajaccio, Córsega - 05 de maio de 1821, Jamestown, Santa Helena) foi um general e imperador da França. Um dos maiores mitos da História, Napoleão imortalizou o seu nome por meio de suas conquistas. Durante quase dez anos (de 18 de maio de 1804 a 6 de abril de 1814), foi o imperador da França, adotando o título de Napoleão I, e no mesmo período, deteve o controle de boa parte do território europeu.

Napoleão BonaparteUm ano antes de nascer, sua ilha natal, a Córsega, foi cedida à França por Gênova. Membro da pequena nobreza, teve direito ao estudo gratuito pelo fato de seu pai ser conselheiro da cidade, e mais tarde, é enviado para a França para estudar em escolas militares. Ao terminar os estudos, Napoleão foi nomeado tenente em 1785. A Revolução Francesa (de 1789 a 1799), será a grande oportunidade para o jovem Bonaparte de se destacar entre todos os revolucionários. Tornou-se general aos 27 anos, saindo-se vitorioso em várias batalhas na Itália e Áustria contra a coalizão formada para combater a revolução e restaurar a monarquia. A partir daí, começa a nascer o mito de um homem predestinado, superior aos demais, destinado a realizar grandes feitos.

Realiza uma desastrosa campanha de conquista do Egito, que apesar do fracasso, não diminui seu prestígio entre o povo. Napoleão acaba alçado ao poder em 1799, no chamado Golpe de 18 Brumário, quando foi nomeado primeiro cônsul da República Francesa (anteriormente, dividia o poder com dois outros cônsules). No poder, ele promove a reorganização do país, abalado por anos de revolução, instituindo reforma fiscal, administrativa, financeira, além de sua mais notável obra, o Código Civil napoleônico, utilizado até hoje, e que veio unificar as várias leis regionais que existiam no país até então, além de promover a separação entre Igreja e Estado.

No ano de 1804, Napoleão é coroado imperador. Com total poder nas mãos, ele estabeleceu uma nova forma de governo e também novas leis. Ao vencer Áustria, Rússia e Prússia, torna-se senhor de um extenso império, comparável em tamanho somente ao antigo Império Romano, extinto há mais de mil anos. Seu poderio só entra em decadência ao tentar rivalizar com a força marítima da Inglaterra, e de seu maior representante, o almirante Nelson, que na Batalha de Trafalgar (assim como no passado, no Egito) dá início à queda do imperador.

Napoleão é mandado para o exílio na ilha de Elba, na Itália, mas no ano seguinte consegue escapar para França, e com consentimento do povo retoma o poder no chamado Governo dos 100 Dias. As nações europeias decidem combatê-lo novamente, e depois de quase cem dias, na batalha de Waterloo, na Bélgica, o imperador dos franceses é derrotado definitivamente, sendo mandado agora ao exílio na ilha atlântica de Santa Helena, onde irá morrer alguns anos depois.

Leia também:

Bibliografia:
Napoleão Bonaparte Disponível em: <http://www.mundovestibular.com.br/articles/253/1/NAPOLEAO-BONAPARTE/Paacutegina1.html>.  Acesso em: 09 jul. 2012.
Napoleão Bonaparte - Bibliografia. Disponível em: <http://www.suapesquisa.com/biografias/napoleao.htm>.  Acesso em: 09 jul. 2012.
Napoleão Bonaparte Disponível em: <http://noticias.uol.com.br/licaodecasa/materias/ult1789u153.jhtm>.  Acesso em: 09 jul. 2012.