Botânica

Por Caroline Faria
A botânica é o ramo da biologia que se ocupa do estudo dos vegetais. Alguns ramos desta ciência que estuda a “biologia das plantas” são: fisiologia, morfologia, taxionomia e ecologia vegetal, química farmacêutica, fitogenética, paleobotânica, fitopatologia e várias outras relacionadas ao estudo dos seres classificados como pertencendo ao reino plantae.

De modo geral, são considerados como sendo do reino vegetal (ou plantae), todos os seres clorofilados, fotossintetizantes, dotados de embriões multicelulares envolvidos por material materno e estágio sexuado em alguma parte de seu desenvolvimento, além de outras características. Entretanto, sempre houve uma certa controvérsia no meio científico quando o assunto é classificar os seres vivos em animal ou vegetal quando se trata de organismos como os fungos, leveduras e alguns tipos de bactérias.

A botânica surgiu ainda na antigüidade quando o filósofo grego Theophrastus (-371/287), discípulo de Aristóteles (que criara duas classificações para as plantas: plantas com flores e sem flores) classificou pela primeira vez os vegetais ainda no século 370 a.C.. Outros filósofos como ele (Plínio, o Velho e Dioscórides por exemplo) foram os responsáveis pelo início do estudo dos vegetais, sua classificação, efeitos sobre o organismo, fisiologia, fitossociologia, corologia e etc.. Claro que a relação entre o homem e os vegetais vem de muito antes.

A botânica é o ramo da ciência que, através dos fósseis, tem os exemplares mais antigos para estudo. Desde o início da história humana as plantas já eram usadas como alimento, remédio e outras aplicações, tendo por isso se tornado desde sempre um tema que desperta grande interesse nas pessoas. Mas foi só no século 16 que a botânica começou a ficar mais parecida com ciência.

O alemão Otto Brunfels publicou por volta de 1530 o primeiro livro sobre botânica, “Herbarium”, com diversas ilustrações e termos científicos sobre plantas. Junto com Carl Von Linné (“Lineu”), que propôs no século XVIII uma classificação para as plantas e uma nomenclatura binominal em latim (sendo por isso, também, considerado como o pai da taxonomia), Otto é considerado o pai da botânica moderna ou científica.

No Brasil a botânica chegou junto com os portugueses, mas só ganhou importância por volta de 1808 com a vinda da corte para o Brasil e a fundação, naquele mesmo ano, do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, até hoje considerado como um dos mais importantes do país.