Espermatogênese

Por Fabiana Santos Gonçalves
A espermatogênese é o processo de formação e desenvolvimento dos espermatozóides. Os espermatozóides são células sexuais especializadas que possuem metade dos cromossomos paternos, graças à meiose.

A espermatogênese ocorre nos testículos e se refere aos eventos em que as espermatogônias se transformam em espermatozóides.

As espermatogônias são encontradas nos túbulos seminíferos. Durante a puberdade o número de espermatogônias começa aumentar e sofrer várias mitoses, crescendo e sofrendo mutações, com o objetivo de se transformarem em espermatócitos primários. Este desenvolvimento é estimulado pelo hormônio folículo-estimulante (FSH). Tanto as espermatogônias como os espermatócitos primários são células diplóides.

Em seu período de maturação, cada espermatócito primário sofre uma divisão redutora ou 1ª divisão meiótica, formando dois espermatócitos secundários, que são haplóides e com aproximadamente metade do tamanho da célula-mãe. Como em toda meiose, ocorrem duas divisões sucessivas, os espermatócitos secundários sofrem outra meiose, formando quatro células haplóides, as espermátides, com metade do tamanho das células-mãe. Após este período de maturação, as espermátides se diferenciam em espermatozóides, processo chamado de espermiogênese, ou período de diferenciação. A espermiogênese pode levar até 64 dias.

O espermatozóide maduro é composto de três partes: cabeça, colo e cauda.

Na cabeça encontramos o núcleo haplóide e o acrossomo, que também é chamado de capuz acrossômico e contém enzimas que auxiliam na penetração do espermatozóide do envoltório do óvulo.

O colo é a junção entre a cabeça e a cauda.

A cauda é composta de três peças: peça intermediária, peça principal e peça final. Apresenta muitas mitocôndrias pois precisa de muita energia para sua motilidade.

Imagens:
http://www.assis.unesp.br
http://www.antioxidantes.com.ar/